Correio do Minho

Braga, segunda-feira

- +
UMinho lançou “embrião” de curso de Engenharia Aeroespacial
GrowUp superou expectativas

UMinho lançou “embrião” de curso de Engenharia Aeroespacial

Obras no Centro de Actividades de Gualtar avançam em 2020

UMinho lançou “embrião” de curso de Engenharia Aeroespacial

Ensino

2019-10-15 às 11h38

Redacção Redacção

Academia assinou ontem um memorando de entendimento com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica, do Brasil, mas o curso só deverá dentro de cinco anos.

A UMinho pretende alargar a sua oferta formativa à Engenharia Aeroespacial, podendo lançar o seu primeiro curso na área dentro de cinco anos.
Segundo o presidente da Escola de Engenharia da UMinho, Pedro Arezes, o “embrião” daquele curso foi ontem lançado, com a assinatura de um memorando de entendimento com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), do Brasil. “Está na cabeça de todos podermos um dia mais tarde ter uma oferta educativa que verse sobra a questão da engenharia aeroespacial”, referiu.
Sublinhou, no entanto, que o curso não irá avançar de imediato.
“Planear um curso de base de engenharia aeroespacial demorará um período longo, que, no nosso caso, com estas vertentes, nunca será de menos de cinco anos”, disse ainda.

No imediato, a UMinho vai lançar “um conjunto de cursos de curta duração” no domínio da engenharia aeronáutica e aeroespacial.
Pedro Arezes explicou que estes cursos terão entre 30 a 60 horas e assumir-se-ão como “disciplinas”.
“Vamos fazê-los com o CEIA [Centro de Excelência para a Inovação da Indústria Automóvel], provavelmente ainda no Porto, mas com a colaboração da Universidade do Minho”, referiu. Estes cursos de curta duração poderão arrancar já no início de 2020.

Com vigência de cinco anos, renováveis, o memorando de entendimento entre a Escola de Engenharia da UMinho e o ITA prevê, designadamente, a promoção de intercâmbio de estudantes de graduação e pós-graduação, supervisão conjunta de teses de mestrado e doutoramento e intercâmbio de funcionários, docentes e investigadores.
“Esta parceria põe-nos em estreita ligação com uma das universidades mais prestigiadas do mundo no domínio da engenharia aeroespacial”, vincou Pedro Arezes.
Para o reitor do ITA, Cláudio Alves, esta parceria com a UMinho insere-se no âmbito da estratégica de internacionalização daquele instituto.
“Será muito interessante poder ajudar a montar a Engenharia Aeroespacial na Universidade do Minho”, referiu.

O memorando ontem assinado tem um carácter genérico, sendo os detalhes e especificações para cada um dos itens de cooperação definidos posteriormente.
Este memorando de entendimento teve lugar no âmbito do debate-conferência que teve lugar, ontem, no campus de Azurém, em Guimarães, onde se debateu os desafios futuros para o ensino e investigação.
Cláudio Alves, reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) foi um dos oradores da iniciativa que contou ainda com a presença de Alexandre Ferreira da Silva, do MIT Portugal, Rui Oliveira, co-director da UTAustin Portugal e do coordenador do DTx - Laboratório Colaborativo em Transformação Digital, António Cunha.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.