Correio do Minho

Braga, terça-feira

Wilson Eduardo tombou o detentor da Taça de Portugal
Leandro Almeida recebeu Prémio de Mérito Científico

Wilson Eduardo tombou o detentor da Taça de Portugal

Altice Forum Braga recebe primeira convenção de dança em Portugal

Desporto

2019-01-16 às 06h00

Joana Russo Belo

SC Braga carimbou passaporte para as meias-finais da Taça de Portugal, ao eliminar o Desportivo das Aves, detentor do troféu. Wilson Eduardo bisou e vestiu a pele de protagonista. Falcão reduziu e obrigou a sofrimento extra. Marafona salvou o empate.

Um bis de Wilson Eduardo fez tombar o detentor da Taça de Portugal. O SC Braga carimbou presença nas meias-finais da prova rainha do futebol português, ao eliminar o Desportivo das Aves, por 1-2, num jogo em que os arsenalistas foram bem mais eficazes e letais em termos ofensivos e souberam sofrer na recta final do encontro, depois de Falcão ter lançado os avenses em jogo, ao reduzir aos 70 minutos. Segue-se o FC Porto no caminho dos guerreiros, nas meias-finais da prova.
Sem os dois treinadores nos bancos por castigo, foi a equipa de José Mota a entrar mais atrevida em campo, com Derley a dar o primeiro aviso. Mas a eficácia e frieza arsenalista foram determinantes para o desfecho da primeira parte, que teve como protagonista Wilson Eduardo. No primeiro ataque à baliza de André Ferreira, o avançado aproveitou da melhor forma o soberbo passe de João Novais para se isolar e driblar o guardião, atirando em cheio para o fundo das redes.

Bem mais confiante com o golo, o SC Braga mostrou-se ofensivamente e Paulinho só não festejou o segundo, porque tinha a mira desafinada na cara de André Ferreira. Quem não desperdiçou foi Wilson Eduardo, a bisar aproveitando um erro defensivo do Aves. Jogada começou em Paulinho, Claudemir serviu Wilson de primeira, que apareceu na esquerda e rematou cruzado para o golo.
Logo após o reatamento, os guerreiros estiveram perto de resolver o encontro - Wilson desperdiçou o hat-trick já sem André Ferreira no lance - e acabaram a sofrer para defender a margem mínima, depois de um cabeceamento certeiro de Falcão, aos 71 minutos, após canto de Milos, que relançou o Desportivo das Aves no encontro.
Golo aumentou a crença dos avenses e deixou os bracarenses encostados às cordas, já sem Paulinho e com Ryller no reforço do meio-campo. Fellipe assustou e Derley obrigou Marafona à defesa da noite, em cima dos 90, a salvar o empate. Contra a corrente, Murilo ainda atirou ao ferro. Apuramento com elevada dose de sofrimento nos últimos minutos.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.