Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +

“10 palavras no caminho? Apanho todas. Um dia construo uma ponte.” LIDERANÇA

Gerir trabalho docente presencial / ensino à distância simultâneo

“10 palavras no caminho? Apanho todas. Um dia construo uma ponte.” LIDERANÇA

Escreve quem sabe

2021-02-23 às 06h00

Cristina Palhares Cristina Palhares

Serendipidade, Espanto, Otimismo, Resiliência, Humor, Liderança, Talento, Conhecimento, Excelência e Felicidade. As 10 palavras desta caminhada que partilho neste espaço, durante 10 meses. Nos meses anteriores, SERENDIPIDADE, ESPANTO, OTIMISMO, RESILIÊNCIA, HUMOR. Hoje: LIDERANÇA. E liderança na pessoa do professor, dentro da sua sala de aula. Aquela velhinha expressão “Aqui quem manda sou eu!”, sofreu ao longo de tantos anos os maiores ensaios críticos de psicopedagogos e estudiosos do assunto que ora transformavam o professor num vil e intolerável déspota ora o colocavam no lugar da vítima dos alunos que “assaltaram” a liderança na sala de aula. Assim, propus-me refletir na liderança em sala de aula construindo um abecedário da Liderança, refletindo nele pequenas definições, imagens, estilos, que permitem distinguir os professores não no que eles “sabem” sobre liderança, mas no que “fazem”, na maneira como “agem”, quando estão com os seus alunos.
A - ATOR: a sala de aula é um palco e o professor é um grande ator. Lidera com a sua batuta, tem entusiasmo, é contagiante e termina sempre com um grande final;
B - BRILHO: encontra o brilho nos seus alunos e fá-los brilhar;
C - CORPO: veste-se de forma adequada, cuida da sua aparência, participa de corpo e alma na sua sala.
D - DECISÃO: o oposto da omissão. Não deixa acontecer, antes faz com que aconteça.
E - EXEMPLO: seja o que quer que o outro seja.
F - FLEXIBILIDADE: organize atividades extracurriculares e interesse-se por elas.
G - GESTOS: pequenos movimentos corporais que demonstram interesse, como inclinação sobre o aluno, pequenos toques, expressões faciais, contacto ocular.
H - HUMOR: que não rima nunca com ironia, sarcasmo ou agressão.
I - INSPIRAÇÃO: inspirado e inspirador - os dois lados da mesma moeda.
J - JOGO: utilize sempre. Situações problema e desafios que favorecem a argumentação, dando intencionalidade à aprendizagem.
L - LOGRO: não minta. É melhor a verdade que dói do que a mentira que produz um falso alívio.
M - MEMORÁVEL: porque causa impacto nos seus alunos.
N - NÃO: deve ser dito na hora certa, pois favorece a cooperação e a generosidade.
O - OUVIR: ajuda o outro a organizar a sua experiência.
P - PERSONALIZAÇÃO: chamar o aluno pelo seu nome transmite segurança e pertença ao grupo.
Q - QUALIDADE: a liderança que cumpre o seu maior objetivo - o desenvolvimento do potencial de cada um dos seus alunos.
R - REFORÇO positivo: é preferível ser inspirado que criticado.
S - SORRISO: iniciar e finalizar a aula com um sorriso demonstra vínculos afetivos e que está feliz com eles.
T - TERRITÓRIO: passear pela sala transmite sensação de proteção e acalma o grupo.
U - UBUNTU: nome sul aficano que traduz “humanidade com os outros”. Uma pessoa com Ubuntu está aberta e disponível, apoia os outros, não se sente ameaçada quando outros são capazes e bons, baseada numa autoconfiança que vem do conhecimento que pertence a algo maior e é diminuída quando os outros são humilhados ou diminuídos.
V - VOZ: pode denunciar falta de vontade, monotonia e tristeza, ou então entusiasmo, novidade, alegria.
X - XEQUE MATE: tudo o que se promete cumpre-se, sob pena da “morte do rei”.
Z - ZEPELIM: tal como o dirigível que consiste em secções rígidas articuladas de maneira flexível, assim é a nossa sala de aula: com regras e rotinas bem sólidas vividas por alunos apaixonados, otimistas e sonhadores.
A preparação dos professores como professores-líderes, é um problema de transformação, no sentido de “tornar-se professor”: não é ensiná-lo como ensinar, mas ajudá-lo a descobrir em si as suas melhores formas de agir. Esta última ideia remete-nos para o “ser professor”: desenvolvendo um estilo pessoal de ensinar, explorando e descobrindo maneiras de utilizar a sua própria pessoa, os seus conhecimentos, para tomar as decisões mais acertadas. É um grande desafio humanista e que cada vez mais, hoje, deveria ser reclamado para a formação de professores. Tal como venho pensando amiúde não há lugar em educação para se ser mau professor ou professor “assim-assim”. Um professor tem que necessariamente ser um bom professor: os riscos que se correm em educação são demasiado elevados. As mudanças nas características pessoais, de ser e perceber, transformam os professores em líderes. É a capacidade de transformação de “professor” em “tornar-se professor”. A liderança é assim a característica que faz abrir a porta da sala de aula a um professor entusiasmado, que dá o exemplo, que gosta do que faz, que sorri, que tem brilho nos seu olhar, que traz novidades e novas aprendizagens, que gere com ritmo, com melodia, com harmonia, transformando os seus alunos em alunos entusiasmados, sorridentes e brilhantes. “Aqui quem manda sou eu? Claro que sim!”

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

03 Março 2021

À partida não é assim!

02 Março 2021

Natural(mente)... Março

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho