Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

93 anos... obrigado!

Solidão

93 anos... obrigado!

Ideias

2019-07-06 às 06h00

Paulo Monteiro Paulo Monteiro

O Correio do Minho será a primeira visita da manhã que irá levar aos leitores o que de mais interessante se tiver passado no país e no estrangeiro. Dia a dia irá melhorando as suas secções, embora os homens “que tudo mandam” lhe tenham já fixado o vencimento da morte...
Entre nós, porém, há uma grande diferença que eles desconhecem.
Eu não tenho o ‘cacau’ de que eles dipõem mas tenho sobre eles uma grande superioridade:
Coragem moral e independência bastante para apreciar os fatos, tal qual eles se apresentam, não vendendo a pena a troco de sorrisos, de blandicias, de promessas, de imposições ou de ‘cacau’...
A minha pena está ao serviço dos povos do Minho, da minha linda terra de Braga, da minha adorada Pátria e de mais ninguém...
E agora o caminho é para a frente.

Álvaro Pipa

Estas foram as primeiras palavras escritas no ‘novo’ Correio do Minho, ‘segunda geração’, a 6 de Julho de 1926, pelo seu director. Álvaro Pipa era anteriormente director do ‘Diário do Minho’, tendo saído, em ruptura, no início de Julho de 1926, juntamente com o chefe de redacção, Constantino Ribeiro Coelho e outros jornalistas. Aliás, toda esta história é já conhecida e bem espelhada no livro de 2011, escrito por Joaquim da Silva Gomes, ‘Correio do Minho - 85 anos de História (1926-2011)’. Quando digo que esta é a ‘segunda geração’ é porque já anteriormente tinha sido publicado o ‘Correio do Minho’. Um jornal que teve o seu primeiro número no dia 3 de Janeiro de 1902 e foi um periódico do ‘Orgão do Partido Progressista’, e tinha uma publicação bissemanal (terças e sextas-feiras)... já lá vão 117 anos!
O suplemento que hoje publicamos é dedicado aos 93 anos. 93 anos, leu bem. Não é uma conta certa, mas é um aniversário certo. Faz hoje 93 anos que Álvaro Pipa escreveu o seu primeiro editorial e saiu para a rua o primeiro número do ‘novo’ ‘Correio do Minho’. Entendemos que as datas devem ser sempre comemoradas e entendemos também que devemos mostrar um pouco de nós e um pouco daqueles que connosco colaboram todos os dias. Por isso decidimos dedicar, este ano, este suplemento, aos nossos cronistas. Também eles elevam bem alto o nome do jornal e também eles saltam ‘fora da caixa’ e mostram em verdadeiras obras de arte os seus artigos, as suas crónicas, as suas histórias.
E isso mesmo acontece hoje, a partir das 16 horas, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, dia em que é apresentado mais um livro de Joaquim da Silva Gomes, ‘Correio do Minho - 30 anos a colaborar’.
Neste livro “encontramos uma autêntica enciclopédia de coisas novas, de histórias antigas, de novidades e que nos deixam atentos da primeira à última página. É mesmo verdade! Um prazer na leitura de palavras, de contos, de histórias, de realidades, de verdades e de muitas descobertas, e passa por tudo e por todos. E liga o mundo a Braga e Braga ao Mundo. É notável”. Estas acabam por ser algumas das palavras que podem ser lidas no prefácio, feitas por mim e que no fundo homenageiam Joaquim da Silva Gomes porque também ele, para além de cronista é um grande colaborador desta casa e faz parte da história do jornal Correio do Minho. Foi ele o responsável por, em 2011, escrever a história do jornal e que hoje reproduz, resumidamente, essa mesma história nas páginas do suplemento que publicamos dedicado aos 93 anos.
Mas a publicação deste livro de crónicas saídas no jornal só nos pode encher de orgulho, já que demonstra a importância que o jornal tem, a proximidade que existe entre o leitor e o jornal e entre os cronistas e o leitor. E este gesto de querer deixar ainda mais perpetuado para a história, não é virgem. Hoje mesmo, neste suplemento, apresentamos outro exemplo, o da professora e escritora Fernanda Santos. Ao fim de um ano de crónicas em ’Voz aos Escritores’, e depois de muitos pedidos para converter em livro os seus textos, cá está mais um ‘bestseller’: ‘Segue na linha do Minho’. Uma compilação de textos publicados no jornal e onde faz “várias referências a obras, autores e citações, evidenciando as influências literárias na nossa vida e o amor pelos livros e pela leitura propriamente dita, cujo mote é dado logo na primeira crónica ‘O poder da Leitura - Ler para aprender e gostar de ler’.
Também o professor Pinto de Matos, durante muitos anos cronista em ‘Voz às Escolas’, como director do Agrupamento de Escolas de Nogueira e Presidente da Comissão Administrativa Provisória do Agrupamento de Escolas Alberto Sampaio, editou um livro com as suas crónicas intitulado ‘Escreviver a Escola’.
Mas muitos outros cronistas, ao longo dos 93 anos, fizeram o mesmo, com especial destaque para os úlitmos anos. Também muitos dos nossos cronistas acabaram por publicar livros, com os mais diversos temas, o que só nos honra...
Por isso só temos mesmo é que agradecer a todos os nossos cronistas pelo excelente trabalho que têm feito e por elevarem o nome do jornal ‘Correio do Minho’. Sem eles o jornal não era a mesma coisa...
Mas hoje o dia é mesmo de agradecimentos. Apesar de a maior homenagem ser para os nossos cronistas, todos os outros, desde o mais simples leitor, o anunciante, ao amigo, aos colaboradores e trabalhadores desta casa quero, em nome da direcção e da Administração do grupo Arcada Nova, agradecer todo o apoio que nos têm dado.
E o que prometemos? Todos os dias fazer mais e melhor para levar até si a melhor informação da nossa região: Queremos continuar a apostar na proximidade e levar até si o que os outros não levam.
Obrigado por podermos contar consigo. Já sabe que pode contar connosco. Parabéns a todos!

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

12 Agosto 2019

Penso logo opino

02 Agosto 2019

Privilégios docentes

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.