Correio do Minho

Braga,

- +

A Dama de Paus

Banco de Portugal lança dois serviços para tornar os pagamentos mais seguros e convenientes

A Dama de Paus

Ideias

2022-02-16 às 06h00

José Manuel Cruz José Manuel Cruz

Pécresse teve o seu primeiro comício de candidata presidencial no domingo. Ninguém esperava que brilhasse, e ela não desiludiu. Pécresse não é conhecida pelos dotes de oratória, não tem carisma nem é capaz de empolgar. Nem entre os seus, assinale-se, já que nas primárias ficou atras de Éric Ciotti, barão do LR próximo de Zemmour, razão pela qual a escolheram em segunda ronda, e fizeram bem: que acrescentaria, por banda dos LR, um candidato que caísse tanto para a direita, que difícil fosse distingui-lo da Le Pen ou do fulgurante Zemmour?
Cooptada pelos pares, logo Pécresse afastou a convocação de comício para as semanas seguintes, invocando restrições circum-pandémicas. Desculpa e confissão implícita de que não estaria preparada para enfrentar multidões.
Passaram-se dois meses, entretanto, algo deve ter melhorado, não sei se tomou lições de dicção, de colocação de voz, de respiração e de acentuação lógica das proposições, facto é que o resultado foi sofrível.
Pécresse terá de convencer os seus e uma talhada dos outros, isto para passar à segunda volta, batendo Le Pen ou Zemmour. Por agora nem os seus segura inteiramente, ou não se tivesse passado Éric Woerth para o campo de Macron, dissidência de vulto em cima da data do comício, diga-se de passagem, que muito havia quem o desse como primeiro-ministro ou responsável da pasta das finanças em governo a que ela presidisse.
Vá-lhe em abono a consciência das suas fragilidades, sobejamente reconhecidas em entrevista na segunda-feira, com uma ponta de desafio até, dizendo que discursos bonitos não falta quem faça, e depois governe de forma deplorável.
Saiu-se melhor na entrevista e é uma esperança. A questão que se coloca, porém, é outra e um tudo mais grave: não estará o LR em fase declínio?
Reuniram pouco acima de sete mil simpatizantes em Paris, em espaço de concertos que Zemmour trocara por pavilhão de exposições, atingindo quase o dobro. Mélenchon, este sábado, juntou acima de oito mil adeptos em Montpellier. Quem estará com os Les Republicans, enfim?

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

21 Julho 2024

Derrota à francesa

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho