Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +

A escola desceu à cidade

COVID… e agora?

Voz às Escolas

2015-04-29 às 06h00

Manuel Vitorino Manuel Vitorino

A interação da escola com o meio é uma condição essencial à sua abertura à comunidade. Trazer à escola, as empresas e demais instituições, a começar pela família, permite sintonizá-la com a realidade do mundo em que vivemos. Por outro lado levar a escola enquanto instituição educativa e a sala de aula, em particular, à comunidade, estimula a reciprocidade mútua, envolvendo-nos a todos no compromisso comum, que é o de educar a geração atual para os novos desafios da sociedade em mudança acelerada.

Entre as inúmeras iniciativas promovidas pelo Agrupamento de Escolas de Monserrate, gostaria de destacar uma, que pelo seu simbolismo constitui um exemplo inovador na promoção de hábitos de leitura dos jovens, de encontro de gerações e de abertura à comunidade.
No âmbito do Projeto Ler+ Jovem - Avós com voz, apoiado pelo Plano Nacional de Leitura, celebramos no dia 23 de abril, de forma inédita, o dia mundial do livro.

Mais de 100 alunos da Escola Secundária de Monserrate descerem à Praça da República e ruas circundantes, em Viana do Castelo, munidos de contos e poemas, para uma sessão de leitura ao ar livre. Para memória futura, foram acompanhados de outros colegas, dos cursos profissionais de Técnico de Instalações Elétricas e de Multimedia, que serviram de técnicos de som e de vídeo.

Uns grupos, tendo o chafariz como pano de fundo, leram em voz alta e ao microfone pequenos textos, outros alunos, divididos em pequenas equipas, deram vida às ruas da cidade, com a sua juventude e vivacidade, abordando os transeuntes e lendo-lhes pequenos excertos dos textos selecionados.

Na Câmara Municipal, em lojas, cafés, museus, residências de idosos, todos foram contemplados com a leitura destes textos. Também os turistas estrangeiros - franceses, ingleses, dinamarqueses - tiveram direito a uma leitura, feita nas duas principais línguas.

Desta interacção surgiu uma receptividade dos destinatários que ultrapassou largamente as expectativas iniciais. Foram vivências inesquecíveis para estes alunos e professores que dinamizam o projeto. A surpresa ou desconfiança iniciais deram lugar aos sorrisos, aos comentários de incentivo, aos gestos de afeto e à emoção que as lágrimas evidenciaram.

As ruas da cidade testemunharam um encontro de gerações, com momentos prazerosos para quem os ouviu e de aprendizagem efetiva para os jovens estudantes, que com esta iniciativa e outras já realizadas, acrescentam valor às aprendizagens mais formais e ajudam a levar a escola à cidade.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

04 Junho 2020

Direito à Educação

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho