Correio do Minho

Braga, quarta-feira

A greve pelo Clima

6.º Festival de Órgão – Um retorno às novidades da tradição musical

Ideias

2019-03-20 às 06h00

Pedro Machado

Milhares de estudantes fizeram, na passada sexta-feira, greve às aulas em protesto contra as alterações climáticas.
Com palavras de ordem como “Não há Planeta B”, “A Terra esgotou a sua paciência e nós também”, “Justiça climática já”, ou ainda, “Estado de Emergência”, “Não podemos ter o futuro hipotecado, temos de salvar o planeta!”
Esta greve mundial teve como lema "fazer greve por um clima seguro" e vem na sequência de uma série de manifestações semanais iniciadas no ano passado por uma menina sueca, Greta Thunberg, de 16 anos, que está nomeada para o prémio Nobel da Paz.
Congratulo-me por estes jovens, por terem percebido a emergência com que este assunto tem de ser tratado, como tal, são urgentes ações para a resolver, temos de alterar a nossa relação com o meio ambiente, caso contrário assistiremos ao colapso do nosso PLANETA!
Para além de todas as catástrofes ambientais, que cada vez são mais frequentes, notícias como a desta semana, de uma baleia que foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, são também cada vez mais frequentes.
Devido às constantes agressões, o Planeta está a ficar esgotado.
Este protesto visou exigir aos decisores políticos ações concretas contra as alterações climáticas.
Estes jovens não estão a pedir, estão a exigir pois é o futuro deles que está em causa.
Mas não devem exigir apenas aos políticos, todos devemos exigir também à comunidade à nossa volta, pois todos os pequenos gestos contam: chamar a atenção a quem deixa lixo no chão, a quem deixa lixo fora dos contentores, a quem não separa os resíduos, a quem não se preocupa com a sustentabilidade ambiental, pois se Greta Thunberg, sozinha, conseguiu iniciar um movimento à escala mundial, temos o dever de fazer a nossa parte à escala local.
E esta greve veio precisamente demonstrar que os nossos jovens estão atentos, que a educação e sensibilização ambiental tem vindo a dar frutos, que a mensagem fica, ou seja, aquilo que venho a afirmar ao longo de duas décadas: só com educação ambiental se podem alterar comportamentos. esta é aposta! Temos de continuar a massificar a Educação/Sensibilização Ambiental.
Ajude-nos, ajudando-se!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.