Correio do Minho

Braga, sábado

A hipocrisia de uma esquerda falhada

O nível de vida português pode ser ultrapassado pelos países do leste europeu

Ideias Políticas

2016-05-17 às 06h00

Francisco Mota

A demografia é um dos problemas estruturais do País e que merece um maior investimento de políticas públicas para contrariar os números da natalidade. Lembro que de acordo com os dados oficiais, em Portugal cada mulher tem em média 1,2 filhos, traduzindo o índice de fecundidade mais baixo da União Europeia e o quinto pior do Mundo. Em 2014 nasceram apenas 82367 bebés, confirmando o pico mais baixo de nascimentos de sempre.

Os filhos são o maior projecto de vida de qualquer casal, mas a realidade é que por mais vontade que os Portugueses tenham em ter filhos, a insegurança social e a instabilidade política que consigo atraem todos os constrangimentos bem conhecidos, condicionam as opções na hora de constituir família. Mas este não é um problema de cada família, mas sobretudo um problema do País e que coloca em causa não só a renovação geracional como a sua própria sustentabilidade.

“Um País sem crianças é um país sem esperança”, foi como Assunção Cristas iniciou o debate na assembleia da república, promovido pelo CDS-PP, sobre a temática da Demografia, Natalidade e Família. Na necessidade de procurar políticas públicas, capazes de difundir a confiança no sentido de reverter o declínio demográfico instalado desde a década de 80, o CDS-PP apresentou 25 medidas transversais que apontavam um novo trilho de prioridade no que à Família e salvaguarda das novas gerações diz respeito.

Não se tratavam de medidas ideológicas e não continham qualquer conflito político, simplesmente colocava as Famílias como eixo central da política pública, com medidas concretas, objectivas e concretizáveis pelos Portugueses.

Imbuídos na maioria das esquerdas esfrangalhada, sem qualquer surpresa, mas com a maior da hipocrisia: PS+BE+PCP Chumbaram! Para esta geringonça de derrotados, as pessoas nunca serão colocadas como prioridade na acção política. A missão de serviço e cumprimento das tarefas públicas vão estar sempre reféns do carneirismo partidário e ideológico, daí que o povo nunca lhes tenha confiado o voto para governar.

Mas vejamos:

a) Cresces com horários flexíveis e alargados, quando se verifique necessidade das famílias em virtude dos horários de trabalho das entidades empregadoras da comunidade: PS+BE+PCP Chumbaram!
b) Aumento do Abono de família para famílias com deficientes a cargo: PS+BE+PCP Chumbaram!
c) Incentivos e benefícios em sede de IRC para empresas de promovam comportamentos familiarmente responsáveis: PS+BE+PCP Chumbaram!
d) Alteração ao regime Porta 65, alargado a idade máxima de acesso para jovens e cais com idade até aos 35 anos: PS+BE+PCP Chumbaram!

Mais uma vez assistimos à esquerda imaculada a demonstrar a sua verdadeira áurea de defesa dos Portugueses em que apenas se preocupam com o posicionamento político deixando de lado os superiores interesses das família em favor de uma hipocrisia de esquerda falhada. Haja vergonha!

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias Políticas

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.