Correio do Minho

Braga, sábado

- +

A Plataforma ODS Local e as Bibliotecas

Bernardo Reis: um nome para a história de Braga

A Plataforma ODS Local e as Bibliotecas

Voz às Bibliotecas

2023-12-14 às 06h00

Rui A. Faria Viana Rui A. Faria Viana

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) voltam à ordem do dia na nossa crónica de hoje. Pela sua importância, já abordamos este tema por duas vezes em crónicas intituladas “As Bibliotecas e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, publicadas em 12 de dezembro de 2019 e em 9 de janeiro de 2020 neste jornal.
Na primeira, explicámos como surgiu no âmbito das Nações Unidas (2015) a necessidade de operacionalização de 17 objetivos que devem ser alcançados em diversos países até 2030 e o envolvimento das bibliotecas, graças à ação da IFLA (Federação Internacional de Associações de Bibliotecas e Instituições), enquanto orga- nizações que também pode- rão cooperar de uma forma eficaz para a implementação dos ODS, uma vez que o acesso à informação e ao conhecimento possibilitam o desenvolvimento sustentável e o aumento da qualidade de vida das pessoas. Neste sentido, as bibliotecas são encaradas como instrumentos importantes para a concretização dos ODS. No mundo inteiro, as 320.000 bibliotecas públicas e mais de 1 milhão de bibliotecas parlamentares, nacio- nais, universitárias, especializadas e escolares asseguram o acesso à informação e ajudam as pessoas a adquirirem capacitação para usarem essa informação de forma correta, assumindo-se como uma rede de instituições que podem ser extremamente úteis a todos os setores da sociedade.
Na segunda crónica dissemos como é que as bibliotecas podem, através da adoção de várias medidas, contribuir para ajudar na concretização da Agenda 2030 e contribuir para atingir os 17 ODS de acordo com as indicações da IFLA, enumerando uma série de boas práticas conducentes à sua realização.
A Agenda 2030 das Nações Unidas foi adotada e adaptada pela Plataforma ODSlocal para que as metas se adequem à realidade dos municípios portugueses e, assim, das 169 metas (através das quais as várias entidades e outros atores participantes se podem orientar para que os objetivos sejam atingidos) foram consideradas 119, das quais 25 adaptadas e estruturadas segundo dimensões, objetivos, temas, metas e indicadores (ver odslocal.pt).
Esta plataforma baseia-se numa participação abrangente que engloba decisores, técnicos municipais, agentes locais e cidadãos, e tem como parceiros o CNADS (Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável), o OBSERVA (Instituto de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa), o MARE (Universidade Nova de Lisboa) e a 2adapt, apoiando-se num portal online que possibilita visualizar e acompanhar os contributos de cada município em relação aos vários ODS, identificando práticas locais, iniciativas e projetos inovadores em cada autarquia.
Acrescente-se, ainda, que a Plataforma Local dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, numa fase inicial de criação, para além de envolver as entidades promotoras do projeto teve como parceiros no que podemos considerar como sendo uma fase piloto, em 2018 e 1019, sete municípios entre os quais o de Viana do Castelo, abrangendo, a partir de 2020, todos os municípios portugueses com interesse em participar.
Refira-se, também, que em 2021, Viana do Castelo tinha já recebido um Selo ODSlocal, correspondente a uma certificação que reconhece os municípios “que evidenciem um elevado grau de compromisso com a sustentabilidade local”. No entanto, saliente-se a realização no passado dia 3 de novembro, em Viana do Castelo, da Conferência ODSLocal’23 (“Das metas às soluções”) na qual o Município anfitrião recebeu uma Menção Honrosa na categoria de Conjunto de Boas Práticas Municipais. São 151 as Boas Práticas inscritas até ao momento e, destas, a Biblioteca Municipal contribuiu com seis, mais especificamente no âmbito do ODS4 (Educação de Qualidade), ODS9 (Inovação e Infraestruturas), ODS10 (Redu- ção das Desigualdades) e ODS16(Paz e Justiça) com as atividades “Ler Em Viana”, “Sábado Com Histórias”, “O meu Kit de Leitura”, “Serviço de Leitura Especial”, “Biblioteca Itinerante” e “Internet Sénior”. Tratam-se de facto de atividades que vêm sendo desen- volvidas pela Biblioteca Pública Municipal de Viana do Castelo reconhecidas pela comunidade e com alto grau de adesão e de participação dos munícipes. Naturalmente que outras surgirão tendo em atenção a missão das bibliotecas públicas de acordo com o Manifesto da Unesco.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Bibliotecas

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho