Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +

A Sociedade do Conhecimento e o sucesso escolar no Ensino Superior

Convertidas – A Solenidade do Mês de Maria (1913)

Ideias

2017-04-09 às 06h00

Manuel Barros Manuel Barros

A decisão de trazer o tema do sucesso escolar e do abandono do ensino superior, a este espaço de opinião, resultou da minha participação no “ II Encontro Nacional de Estudantes Social-democratas”, que se realizou ontem em Vila Real. Uma excelente oportunidade para poder debater, com uma assembleia interessada, uma problemática de grande atualidade, que se enquadra num universo de assuntos a que tenho a minha atividade profissional, nomeadamente, a educação formal e não formal, a formação profissional, a inserção na vida ativa e do desenvolvimento do empreendedorismo das novas gerações.

Uma reflexão centrada nas profundas alterações que o se têm realizado no sistema educativo em geral, e o ensino superior em particular. Mudanças que se aprofundaram com a generalização do acesso ao ensino superior, permitindo o acesso a um número crescente de alunos, promovendo uma elevada diferenciação e uma diversificação dos interesses pessoais e das motivações académicas dos estudantes, no que diz respeito às potencialidades, à formação geral e às aspirações, que se têm vindo a acentuar drasticamente, e estão a exigir uma nova dinâmica no seio das universidades e Institutos politécnicos.

Neste sentido o processo de Bolonha introduziu alterações ao nível da estrutura pedagógica dos cursos, dos objetivos de aprendizagem, dos planos curriculares, das metodologias de ensino e da avaliação focando todo o processo educativo no estudante. Um novo contexto, onde a vocação continua a ser determinante, mas a empregabilidade dos diplomados no ensino superior não pode ser descurada, numa dinâmica educativa em que, cada área de formação, disponibiliza cursos que dão mais ou menos garantias de acesso ao mercado de trabalho.

A formação de nível superior deixou de representar, definitivamente, um status prestigiante para uma minoria reduzida da população, para se assumir como um processo de aquisição certificada de conhecimentos e competências de alta qualificação, por parte de um conjunto cada vez mais vasto de pessoas. Um investimento no conhecimento, que representa uma responsabilidade coletiva, que deve ser contínua e persistente, que implica uma participação mais alargada de todos os agentes e parceiros envolvidos neste processo, e uma cumplicidade exigente que deve assentar numa proximidade mais efetiva das instituições de ensino superior, com as comunidades locais e com a sociedade nacional e internacional.

Este processo incide em particular nas novas gerações, mas envolve também, de maneira crescente, gerações mais velhas, empenhadas em iniciativas de formação ao longo da vida. As repercussões desta grande alteração verificada no ensino superior são decisivas para a vida pessoal de cada um dos detentores dessas formações certificadas, tanto no plano das suas capacidades profissionais e oportunidades económicas, culturais e cívicas.

A promoção do sucesso escolar no ensino superior não pode deixar de ser considerada actualmente um objectivo fundamental de políticas públicas e da acção das instituições universitárias e politécnicas, e o insucesso e o abando escolar não podem deixar de ser considerados problemas preocupantes para os estudantes por ele afetados, para o sistema de ensino superior e para a sociedade portuguesa no seu conjunto.

A importância crescente que têm as qualificações superiores, no quadro actual de uma economia cada vez mais alicerçada no conhecimento e na inovação. Qualificações que os cidadãos tendem rapidamente a adquirir, numa sociedade em que o acesso à cultura, a qualidade de vida e o exercício da cidadania implicam também, cada vez mais, a aquisição e a mobilização de conhecimentos e competências de nível elevado.

Os acentuados défices de qualificações que continuam a verificar-se na sociedade portuguesa, nomeadamente os défices de qualificações superiores, apesar do intenso alargamento da escolarização registado nas últimas décadas, nos vários níveis de ensino;
Acrescendo o persistente atraso comparativo da sociedade portuguesa neste domínio, no quadro da União Europeia e da OCDE, com as limitações das capacidades de competição e colaboração internacional que esse atraso comporta, designadamente nas esferas económica e política, científica e tecnológica, artística e cultural.

Não será difícil admitir, que os níveis de insucesso e abandono verificados no sistema de ensino superior português resultem em desperdício de recursos, frustração de expectativas, e perda de potencialidades pessoais, profissionais e sociais. Mas o diagnóstico está longe de se poder considerar suficientemente esclarecedor, abrangente e aprofundado, apesar do conjunto alargado de estudos e investigações realizados noutros países, cuja consulta comparativa pode ajudar a situar a questão e a avançar na sua análise.

Processo que passa pela identificação das “variáveis alteráveis” neste domínio e fornecer indicações fundamentadas suscetíveis de serem utilizadas a nível das políticas públicas, das instituições de ensino superior e da intervenção cívica (estudantil ou outra), na promoção de medidas institucionais e de boas práticas, que ajudem a potenciar o sucesso e combater o insucesso e o abandono no ensino superior.

A importância crescente que têm as qualificações superiores, no quadro actual de uma economia, cada vez mais alicerçada no conhecimento e na inovação. Numa sociedade, em que o conhecimento é cada vez mais uma fator de diferenciação e de mobilidade social, onde se tem verificado uma procura exponencial de qualificações na linha das tendências do mercado de trabalho, pela implicação que a aquisição e a mobilização de conhecimentos e competências de nível elevado, têm na sua integração plena na economia do conhecimento.

Um encontro muito participado, que abordou os trabalhos já realizados ou em curso a nível nacional, em que os oradores e participantes debateram as suas potencialidades e limites, com vista ao aperfeiçoamento de uma monitorização quantificada de parâmetros relevantes do sucesso, insucesso e abandono dos estudantes do ensino superior, no contexto da sociedade do conhecimento.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho