Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +

A vida e as suas necessidades

Granjear futuro

A vida e as suas necessidades

Escreve quem sabe

2020-10-11 às 06h00

Joana Silva Joana Silva

A vida é tão bonita!...mesmo que nem sempre a consigamos percebe-la assim. Cada qual tem a sua. Há quem a figure mais bonita e há quem a figure mais cinzenta. Essa “ cor” é determinada pelas escolhas e decisões entre estados emocionais de grande intensidade, desde a alegria, a tristeza, até mesmo a saudade. O mesmo se pode dizer das intenções, desejos e necessidades que tem uma intensidade de diferente, variável de pessoa para pessoa. De uma forma simplificada, “aquilo que pode ser importante para si”, pode “não o ser para mim” e vice- versa. Na década de 50, Abraham Maslow, desenvolveu uma teoria denominada de pirâmide das necessidades distribuindo em patamares de cinco categorias distintas. Esta “pirâmide” continua mais funcional do que nunca e explica espelha do ponto de vista humanístico a sociedade em que vivemos. Antes de mais importa clarificar os patamares inerentes a esta pirâmide. Em primeiro e na base, as necessidades fisiológicas, em seguida as necessidades de segurança, subsequentemente as necessidades de amor e/ou relacionamento, posteriormente as necessidades de estima e por último, no topo as necessidades de autorrealização. Cada um dos patamares tem as suas próprias especificidades. Neste sentido, as necessidades fisiológicas, compreendem a as necessidades mais básicas de sobrevivência, como a alimentação, o sono, o estado de saúde , entre outros aspetos. As necessidades de segurança dizem respeito, à situação familiar, “ter uma casa” nomeadamente num local seguro, ter recursos económicos (dinheiro), “ter um emprego” entre outros aspetos. As necessidades de amor e/ou relacionamento, dizem respeito às dinâmicas familiares e à criação de laços e sentimentos de pertença em relação com as pessoas com as quais convive diariamente. As necessidades de estima, compreendem o prestígio, o reconhecimento e o poder. Por ultimo, o patamar auto-realização que como o nome indica, realização. A interpretação da pirâmide não é ainda para todos consensual. Há quem defenda que alcançar o último patamar é extramente difícil, há quem defenda que, há quem o consiga. Maslow manteve uma posição em que afirmou que não se consegue transpor um patamar sem a conclusão do anterior. Analisando do ponto de vista humano a sociedade atual parece reiterar esta afirmação. Vejamos. Imagine que vive numa casa com excelentes condições (necessidades segurança) mas a localização é péssima, pelos distúrbios durante a noite. Está realizado enquanto pessoa? Provavelmente não. Logo mantem-se no patamar necessidades fisiológicas. Suponha entretanto, que tem um péssimo ambiente familiar, ou que não tem amigos, ou até que não tem um/a companheiro/a que gostava muito de ter (necessidade de amor/relacionamento), mas tem um excelente emprego (necessidade de segurança) que até lhe deu prestigio e o poder (necessidade de estima). Seria feliz ou sentir-se-ia realizado? A longo prazo certamente que não. Isto ara dizer em primeiro lugar que não existem vidas perfeitas e todas as pessoas tem algum tipo de “lacuna” permite chegar ao topo , isto é , à auto realização completa. Lacunas que “aos olhos de quem sente” parecem muitas vezes “intransponíveis” mesmo até para as pessoas que considerámos “bem sucedida” (como por exemplo: figuras publicas) .
Cada um procura o seu caminho e tem as necessidades próprias. Há quem procure apenas a realização de bens materiais (necessidade segurança) e não dê importância à família (necssidade amor/relacionamento) Há quem coloque como sua prioridade a aquisição do prestigio e poder( necessidade estima) relegando para último a importância do afeto na sua vida. Há quem priorize as amizades (necessidade amor/relacionamento) e não priorize o emprego (necessidade segurança). Assim podemos perceber que todos os patamares são importantes e indissociáveis da felicidade. Boas decisões e escolhas conduzem à auto-realização. Não se compare nunca com outras vidas. Avalie todos os seus aspetos de vida e nunca de se esqueça de nada. O tempo também tem memória e aquilo que hoje não dá valor mais à frente a vida…cobra.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

24 Novembro 2020

Habitação acessível (2)

23 Novembro 2020

Uma máquina consciente

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho