Correio do Minho

Braga, sábado

- +

Ao reciclar está a poupar!

Assim-assim, ou assim, sim?

Ideias

2019-02-06 às 06h00

Pedro Machado Pedro Machado

Mais uma vez, aproveito este espaço para felicitar a população residente nos municípios de Amares, Braga, Póvoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Vila Verde, pela separação de embalagens recicláveis que fizeram e que foi a mais alta de sempre! Em 2018, a Braval recolheu 17.242 toneladas de resíduos recicláveis nos ecopontos existentes na área de abrangência da Braval (mais 1.287 toneladas do que em 2017.
Este expressivo aumento, na ordem dos 8%, estabelece um novo recorde desde o início desta atividade, no ano 2000, quando foram recolhidas 1.000 toneladas.
No total, os resíduos valorizáveis: vidro, papel e embalagens, juntamente com a recolha de outros resíduos recicláveis: Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE’s) e Pilhas e Acumula- dores, Círios e Velas e Óleos Alimentares Usados (OAU), bem como os pneus usados recebidos, atingiram cerca de 19.209 toneladas!
Este resultado é extremamente positivo, em 2018, a quantidade de resíduos recolhidos para valorização aumentou em quase todos os fluxos, relativamente a 2017, o que dá bons indicadores no que diz respeito ao cumprimento das metas de reciclagem para 2020, no entanto, ainda não é suficiente. Globalmente, o Ecoparque Braval recebe cerca de 100.000 toneladas de resíduos indiferenciados, parte significativa destes resíduos são ainda materiais recicláveis, por isso, é preciso fazer mais, continuar a sensibilizar as pessoas de que é a sua colaboração que faz a diferença.
A recolha de Vidro aumentou 4%, foram recolhidas 6.639 toneladas, mais 255 toneladas do que em 2017, depois de nos últimos anos o aumento ter sido pouco significativo.
O maior crescimento diz respeito ao Papel e Cartão tendo sido recolhidas mais 767 toneladas comparativamente a 2017, num total de 7.658 toneladas, um aumento de 11,1%.
Relativamente às Embalagens foram recolhidas 2.955 toneladas mais 275 toneladas do que em 2017, um aumento de 10,3%.
A recolha de óleos alimentares usados (OAU) aumentou 1,1%, tendo sido recolhidos 75.651 litros, mais 752 litros relativamente a 2017. Um aumento significativo na recolha de óleos alimentares domésticos, uma vez que a recolha de óleos alimentares usados em grandes produtores hoteleiros tem vindo a diminuir, dada a atividade de operadores privados.
Nos contentores instalados nos cemitérios foram recolhidas 118 toneladas de círios e velas, mais 34 toneladas do que em 2017, um extraordinário aumento de 59,1%.
Em termos de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos e Pilhas e Acumuladores, a quantidade recolhida deste tipo de resíduos diminui, foram recolhidas 146 toneladas, menos 128 toneladas do que em 2017. Esta diminuição é devida sobretudo à Braval ter deixado de recolher REEE em diversos pontos eletrão, bem como à retirada de outros devido ao aumento do desvio ilegal deste tipo de resíduos, em diversas superfícies comerciais, para o qual temos vindo a alertar. Relativamente a esta situação, parece-me ser necessário haver, por parte das entidades que a tutelam, uma análise a estas constantes perturbações.
Relativamente à receção de pneus usados, a quantidade recebida aumentou 74 toneladas, no total foram recebidas 1.615 toneladas de pneus usados.
A valorização energética do biogás produzido no aterro sanitário e na Central de Valorização Orgânica permitiu a introdução de 5.515 MWh de energia na Rede Elétrica Nacional, menos 78 MWh do que em 2017, uma ligeira diminuição.
Globalmente, 2018 foi mais uma vez, um ano extraordinário, em termos de reciclagem.
Todos estes resultados foram conseguidos graças ao contributo da população, o qual, para além da poupança de matérias-primas, permitiu uma poupança por parte dos municípios de 440.000€ (quatrocentos e quarenta mil euros), que pagam a respetiva tarifa relativamente aos resíduos indiferenciados, uma vez que, a recolha de recicláveis não é cobrada. Assim, quanto mais separação de resíduos houver, menos o município paga, menos tarifa cobrará ao munícipe. Em nome da Braval, felicito a população que tem contribuído para estes resultados, aqueles que separam os seus resíduos, colocando-os nos ecopontos, contribuindo para a preservação ambiental do nosso planeta e poupando nas tarifas de resíduos pagas pelos municípios.
Ajude-nos, ajudando-se!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.