Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +

As Bibliotecas e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável (I)

A lampreia na Escola, uma aluna especial!

As Bibliotecas e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável (I)

Voz às Bibliotecas

2019-12-12 às 06h00

Rui A. Faria Viana Rui A. Faria Viana

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou em 25 de Setembro de 2015 a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável (resolução A/RES/ 70/1) resultando na operacionalização de 17 objectivos que devem ser concretizados em 193 países até 2030.
A IFLA (Federação Internacional de Associações de Bibliotecas e Instituições) – organismo internacional que repre- senta os interesses das bibliotecas e serviços de informação, e de seus utilizadores – conseguiu, junto da Nações Unidas, incluir referência às bibliotecas enquanto instituições que poderão contribuir para a implementa- ção dos 17 ODS (Objectivos de Desenvolvimento Sustentável) que englobam uma série de indicadores conducentes ao desenvolvimento económico, ambiental e social. E isto, porque a IFLA acredita que o acesso à informação e ao conhecimento possibilita o desenvolvimento sustentável e o aumento da qualidade de vida das pessoas. Assim, as bibliotecas são encaradas como instrumentos impor- tantes para a concretização dos ODS. No mundo inteiro, as 320.000 bibliotecas públicas e mais de 1 milhão de bibliotecas parlamentares, nacionais, universitárias, especializadas e escolares asseguram o acesso à informação e ajudam as pessoas a adquirirem capacitação para usarem essa informação de forma correcta, assumindo-se como uma rede de instituições que podem ser extremamente úteis a todos os sectores da sociedade.
Tendo em atenção que 1 em cada 8 pessoas no mundo vive em extrema pobreza; que cerca de 800 milhões de pessoas sofrem de fome; que 1,1 milhões de pessoas vivem sem electricidade e que a escassez de água afecta mais de 2 mil milhões de pessoas, com a Agenda 2030 pretende-se transformar o mundo combatendo as desigualdades e lutando pela dignidade humana. Os 17 ODS acordados, que entraram em vigor a 1 de Janeiro de 2016, são:
Objectivo 1 – Acabar com a pobreza em todas as sua formas, em todos os lugares;
Objectivo 2 – Acabar com a fome, alcamçar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável;
Objectivo 3 – Assegura uma vida saudável e promover o bem-estar pata todos, em todas as idades;
Objectivo 4 – Assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos;
Objectivo 5 – Alcançar a igualdade de género e empoderar todas as mulheres;
Objectivo 6 – Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos;
Objectivo 7 – Assegurar e acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível de energia para todos;
Objectivo 8 – Promover o crescimento económico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos;
Objectivo 9 – Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação;
Objectivo 10 – Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles:
Objectivo 11 – Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis;
Objectivo 12 – Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis;
Objectico 13 – Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos;
Objectivo 14 – Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável;
Objectivo 15 – Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade;
Objectivo 16 – Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis;
Objectivo 17 – Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.
Mas como podem as bibliotecas promover a Agenda 2030 e contribuir para a concretização destes objectivos? A IFLA, em resposta a esta questão, disponibilizou um documento que iremos divulgar na próxima crónica.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho