Correio do Minho

Braga, terça-feira

As Bibliotecas e a animação da leitura

Combater a DPOC

Ideias

2018-01-10 às 06h00

Rui A. Faria Viana

Odesenvolvimento da rede de bibliotecas públicas municipais no nosso país nos últimos trinta anos trouxe consigo, também, a oferta de muitas actividades voltadas para a promoção da leitura, essencialmente em torno do livro, por daí advir a sua especificidade e ser o recurso de leitura que importa divulgar.
O reconhecimento da importância da leitura pela sociedade actual como competência necessária para o desenvolvimento do indivíduo e da cidadania é um facto que reúne consenso de todos, por isso, atendendo aos baixos níveis de literacia e de hábitos de leitura, nas nossas bibliotecas surgem um conjunto de iniciativas orientadas para criar e aprofundar rotinas de leitura sólidas privilegiando o incentivo e a motivação desde a mais tenra idade. Estas iniciativas revestem-se de grande sucesso quando se prolongam no tempo e têm a capacidade de despertar o interesse na comunidade onde estão inseridas.

Na animação da leitura, entendida como actividade organizada num âmbito mais vasto, destaco as designadas horas do conto, ou sejam, as acções de carácter lúdico e onde a leitura muitas vezes é secundária, como a dramatização de textos, o teatro de fantoches e de marionetas, as actividades plásticas, etc, dirigidas a um público muito jovem e que requer a cumplicidade e o envolvimento da família. Aqui, o papel dos chamados mediadores da leitura que geralmente integram os serviços educativos das bibliotecas municipais, é extremamente importante na motivação e no despertar do prazer de ler, pois, compete-lhes dar vida aos contos e às histórias que se promovem ou divulgam através da sua encenação e da realização de outras iniciativas paralelas e com elas relacionadas. Escusado será dizer que estes animadores necessariamente devem possuir competências próprias relacionadas com a narração e animação de histórias e conhecimentos técnicos específicos como os relacionados com a expressividade vocal e corporal.

Neste aspecto, a Biblioteca Municipal de Viana do Castelo tem uma larga experiência de boas práticas no que à competência da leitura diz respeito com resultados bastante positivos, sendo uma das suas preocupações constantes perante os seus utilizadores mais novos, desde que animada do espírito de leitura pública que adoptou nas últimas décadas, por achar que a construção de um cidadão consciente começa ainda na primeira Infância. Daí, a aposta permanente e consciente na criação dos seus leitores e no enraizamento das suas práticas de leitura, entendidas como um serviço público à comunidade integrado na sua política de gestão.
Das diferentes acções que vem promovendo destaco os Sábados com histórias como uma iniciativa de promoção da leitura, iniciada em 2003, sucedendo a uma outra designada de Histórias em miúdos (1995), que convida as crianças a entrar no mundo da fantasia a partir da leitura, encenação e dramatização de uma história com livros, objectos, fantoches, música, entre outros, estimulando-as para a descoberta do prazer de ler. Neste âmbito, são de referir também as propostas de animação apresentadas às escolas da rede de bibliotecas escolares do concelho mas aqui versando obras recomendadas no PNL (Plano Nacional de Leitura), com o intuito de potenciar a escola como meio facilitador do acesso à biblioteca, desenvolvendo de forma articulada e regular, a leitura e a escrita, estimulando o fomento de hábitos de leitura desde jovens.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

18 Dezembro 2018

O seu a seu dono!

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.