Correio do Minho

Braga,

- +

As mulheres, os jovens, para quando o fim das quotas?

Como ativar territórios e criar novos destinos

As mulheres, os jovens, para quando o fim das quotas?

Ideias Políticas

2021-06-08 às 06h00

Diogo Cunha Diogo Cunha

Quando se fala em quotas ou em lei da paridade todos temos a tentação de dizer que não é necessário e que não promove a competência.
Exemplo disso tem sido o aumento da participação cívica e política das mulheres, que não fossem também as implicações das quotas não aconteceriam com a mesma rapidez.
A sociedade em geral, e os decisores tem, ainda que de forma involuntária optado pela idade e pelo sexo quando tem que decidir quem deve ocupar determinado cargo.
Foi aprovada em 2019, a proposta de lei para a paridade no poder político e para a "representação equilibrada" entre dirigentes da Administração Pública, neste caso 40%.
No Partido Socialista, pela primeira vez num processo autárquico todas as listas terão 40% de elementos candidatos do sexo feminino. Sendo recomendável que um dos dois primeiros nomes seja mulher.
Com esta recomendação, o Partido Socialista assegura que todas as mulheres são valorizadas neste processo autárquico. *Garantir* que a mulher é parte integrante da política, é um dos legados que o partido, e mais concretamente a Concelhia de Braga quer deixar nos cidadãos.
Para além de mulheres, o Partido Socialista, recomenda também que 20% das quotas pertençam a jovens. Por diversas vezes ouvimos que os mais novos não devem ter lugar de fala nas questões que mais importam à sociedade, pensamento esse errado e ultrapassado pelo tempo. São os jovens o futuro do nosso país e também eles se devem sentir valorizados e parte integrante de todo o processo de decisão, que pode e vai influenciar todo o seu futuro. Não podemos afastar os jovens da política e principalmente não podemos deixar que os extremos os levem a melhor.
Em Braga, a vereadora Liliana Pereira, é o exemplo disso mesmo. Atualmente lidera a estrutura das mulheres socialistas. Vereadora da oposição dos últimos oito anos.
Seguramente é um excelente elemento para a equipa que o Hugo Pires irá liderar, será uma excelente vice-presidente da câmara a partir do dia 26 de Setembro.
Na passada sexta-feira feira, a Juventude Socialista de Braga deu mais um passo no caminho do progresso feminista e jovem, através do evento “Braga à Sexta | A mulher: uma voz presente na sociedade atual”. Neste evento, que contou com a presença da deputada não inscrita, Cristina Rodrigues, a coordenadora das mulheres socialistas de Braga, a Liliana Pereira e Docente de Criminologia, Joana Torres, foi promovido um debate construtivo sobre a evolução de políticas femininas que têm a capacidade de traçar o caminho do progresso na sociedade. Prostituicao, movimento #MeToo e MGF (Mutilação Genital Feminina) forma os temas em cima da mesa.”

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho