Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Assertividade: Chefia versus colaborador

O Estado da União

Escreve quem sabe

2018-03-25 às 06h00

Joana Silva

A assertividade é um tipo de habilidade psicológica e verbal de expressão clara e objetiva. Uma forma diplomática de expressão verbal e não-verbal. Na verdade, existem muito poucas pessoas assertivas. Talvez porque a assertividade não é um ato mecânico ou que nasce com o individuo. A assertividade trabalha-se e molda-se ao longo da vida. Ninguém é perfeito e assertivo(a) a cem por cento, logo ao longo do dia fruímos de momentos em que somos mais agressivos(as), manipuladores(as), passivos(as) e assertivos(as). Quantas vezes, se adota uma postura mais passiva perante chefia ou colegas de trabalho (ocultação dos próprios sentimentos). Também no regresso a casa, se porventura nos deparamos com uma situação nada agradável por parte do(a) companheiro (a), automaticamente recorre-se à crítica. Estratégia argumentativa utilizada para se ganhar a discussão (colocar imediatamente a culpa, inter- rompendo com frequência através da voz alta).

Mas eisque nesse preciso momento alguém toca na campainha. A postura e a comunicação certamente não é a mesma do minuto anterior. Ao abrir a porta é esboçado um sorriso e um comprimento afável, numa atitude manipuladora em que se pretende esconder as verdadeiras emoções. Mas também se é assertivo, quando um amigo procura um conselho sincero na medida em que o confronto com a verdade nua e crua é necessário (empatia - a capacidade de me colocar no lugar da outra pessoa). No entanto, há sempre um que é mais forte na personalidade do individuo. Há quem diga que ser assertivo(a) é difícil e que a compreensão dos sentimentos dos outros, de nada valem. Falso! A assertividade é primeiramente uma questão de caracter e como tal, o(a) assertivo(a) tem de se preocupar genuinamente com o outro, em que não pode dissimular.

A assertividade é a estratégia comunicacional muito forte no âmbito pessoal, social e até profissional. A assertividade acarreta até ganhos para a saúde, porque o individuo não remói nos problemas, afirma o que gosta e o que não gosta de forma neutra e tranquila expondo sem medo o seu ponto de vista, mesmo que a sua opinião seja contrária às dos restantes envolvidos. Não é fácil, mas também não é impossível ser assertivo(a) em ambiente organizacional. Um dos problemas que gera maior conflito em termos do trabalho e do clima organizacional são as horas extraordinárias. Chefes agressivos tendem a exigir e muitas vezes, deparam-se com colaboradores desmotivados aos quais se lhes exige que vistam a camisola pela entidade. Um colaborador desmotivado não produz. Mais do que o estilo de liderança predominante na empresa, é a forma como se comunica com o colaborador. Surpreendido(a)? Vejamos por esta prespectiva.

Para além da parte profissional, existe uma outra parte da vida igualmente importantefilhos em que os grupos escolares tem igualmente os seus horários e que não podem permanecer mais do que o tempo acordado com os pais no início escolar, compras, consultas médicas etc. Existe uma outra vida para além do trabalho. No entanto, também é compreensível que sem a exportação de encomendas ou produtos em tempo previsto podem arruinar uma empresa levando-a à falência. Com falência há desemprego. Neste ponto mais do que a atitude é a comunicação. E é precisamente nestas situações que a assertividade é infalível. Assim sendo, muitos dos problemas acerca das horas extraordinárias seria simplesmente resolvido apenas com uma explicação verbal que abarcasse as necessidades emocionais, sociais e económicas de todas as partes envolvidas. Uma empresa não caminha para o sucesso apenas com colaboradores ou só com chefias. Uma empresa é um todo.

Do porteiro, ao colaborador part-time, à assistente operacional de higienização dos espaços, às chefias intermédias, ao departamento de contabilidade, aos comerciais que divulgam os produtos, ao diretor etc. Todos sem exceção constroem uma entidade com futuro. Para isto é necessário um diálogo claro e sincero. Voltando ao exemplo anterior, das horas extraordinárias poder-se-ia dizer o seguinte: Caros (as) colaboradores, estamos atrasados no envio da encomenda X e os nossos salários dependem do envio da mesma. Compreendo que tem as vossas vidas mas é mesmo importante que terminemos dentro do prazo previsto. Assim sendo e porque muitos de vocês tem filhos menores, proponho três horários de acordo com a vossa disponibilidade. Um no período da manha, outro na hora do almoço, ou até para quem o desejar no final do turno. Deixo à vossa consideração e peço que se possível assinalem qual o horário que colaborarão. Obrigado.

Há quem considere este tipo de argumentação assertiva, dar demasiadas explicações e mostrar fragilidade. Mas este tipo de prespetiva parte de pessoas que se auto centram em si e que as emoções e condições dos outros são irrelevantes. Assertividade é aceitar acordos e soluções, é compreender. É a capacidade de defender os próprios direitos e ao mesmo tempo salvaguardar dos outros. É explicar e ir direto ao assunto sem usar a agressividade. A assertividade, em âmbito profissional contrabalança, pois propicia maior proximidade entre chefias e colaboradores e maior satisfação na expressão e comunicação das emoções. Um salario ao final do mês é importante, mas a atitude de um líder que compreende e é sensível aos interesses de todos sem exceção conduz ao sucesso e ao bem-estar de todos.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.