Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Braga Atreve-te

‘Tu decides’ e o AE Maximinos move-se pela cidadania

Ideias Políticas

2013-01-22 às 06h00

Francisco Mota

Num ano de eleições Autárquicas em Braga o grande desafio é sem dúvida a capacidade de inovação e audácia no contacto com os cidadãos. Com a desconfiança na política e nos políticos o que vai designar a vitória no escrutínio é a capacidade de aproximação à comunidade bracarense bem como na conquista de apoios a partidários de personalidades que a sociedade civil se reveja.

Mas ainda mais do que este factor, de credibilização das candidaturas, a incidência na agregação e aproximação ao comum dos cidadãos vai ser determinante para o sucesso autárquico. Se em boa verdade este sentido tem que ser assumido pelas candidaturas, a disponibilidade da sua concretização depende da abertura dos bracarenses.

Braga tem e deve dar o exemplo da participação cívica na gestão da coisa pública no nosso concelho. Uma eleição não começa nem acaba no dia do voto, porque é da responsabilidade de todos influenciar as opções políticas e estratégicas do município, bem como acompanhar e avaliar a sua execução.

Em especial dirijo-me aos jovens, para que não fiquem à espera que alguém opine e decida por eles. Já mais do que uma vez afirmei se é verdade que a nossa geração não tem qualquer responsabilidade ao marasmo a que o País chegou, também é verdade que temos a responsabilidade de encontrar as soluções para um novo rumo. E não só apenas Portugal depende desta atitude, Braga também precisa da nossa energia e irreverência para vingar nos próximos anos.

A atitude que se exige a cada um de nós é de mudança, não apenas nos destinos municipais, mas essencialmente em nos tornamos parte integrante e participativa de uma sociedade que todos os dias nos influência. Não basta apenas numa mesa de café ou num grupo de amigos afirmar que as coisas estão mal e que se fossemos nós a fazer as coisas seriam diferentes, porque se assim é, o que nos falta é atitude e coragem de enfrentar as dificuldades, saindo do comodismo, e assim contribuir para uma sociedade mais rica e participativa.

A nossa geração tem que demonstrar que não é apenas a geração mais instruída de canudo, mas que isso se reflecte nas atitudes de cada um, não podendo fugir aos encargos cívicos. Temos que estar de uma forma empreendedora em Sociedade, influenciando e dizendo um Sim de presente.
Braga Atreve-te, faz a diferença.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias Políticas

20 Novembro 2018

Ensaio sobre a verdade

20 Novembro 2018

Um caminho diferente

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.