Correio do Minho

Braga, terça-feira

CDS de Futuro Por Braga

Repensar a Lógica do Livro de Instruções

Ideias Políticas

2017-01-03 às 06h00

Francisco Mota

O CDS de Braga vai a votos no próximo dia 21 de Janeiro. Esta será a última oportunidade de o partido se apresentar à sociedade bracarense como um projeto político de responsabilidade e de afirmação do centro direita no concelho. Afirmo como sendo a última, não porque o partido esteja a prazo, mas sim porque há muito que estas sucessivas lideranças passaram a sua validade. Um bom exemplo disso são as crises constantes, a falta de orientação política e a ausência de estratégia.

Tudo tem o seu tempo e é tempo do CDS se reafirmar no contexto municipal- em diálogo permanente com os vereadores em exercício-, de valorizar as freguesias e estar próximo das populações, encontrando soluções para os seus problemas.
É tempo de colocar as pessoas em primeiro, distanciando o taticismo pessoal e valorizando as ambições comuns. Basta de líderes que se servem da equipa em vez de construir em conjunto uma alternativa séria e de referência para os bracarenses.

É tempo de o partido se abrir à sociedade civil e ser a voz de confiança das organizações e associações que todos os dias permitem deslumbrar uma Braga com futuro.
É tempo de planear, decidir e construir, porque, sem um plano, o que é fácil torna-se difícil; com um plano, o difícil torna-se fácil. Defendendo, sempre, o compromisso geracional na ação pública, é importante entender e compreender que o planeamento não diz respeito às decisões futuras, mas às implicações futuras das decisões presentes.

É tempo de dar voz aos autarcas e aproximá-los do centro de decisão, bem como de constituir o conselho de autarcas e núcleos territoriais, possibilitando ao CDS comungar diariamente com os anseios e ambições da população de cada território.
É tempo de recuperar a matriz de valorização das mulheres na política e reerguer o movimento das mulheres centristas no concelho.

É tempo de unir, crescer e vencer com a Juventude. A Juventude Popular, sendo a juventude partidária mais bem preparada do concelho, deve ser para o CDS um fator de confiança no futuro e na renovação dos quadros do partido, e nunca olhada com desconfiança ou desprezo. Aliás, o CDS deu vida à JP, mas é a JP que dá vida ao CDS.

É tempo de dar voz aos militantes que democraticamente escolhem o futuro que pretendem para o nosso partido. As decisões do CDS de Braga são tomadas em Braga e de acordo com os regulamentos e estatutos em vigor.
É tempo de Juntos construirmos um CDS de Futuro Por Braga!

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias Políticas

25 Setembro 2018

Confiança máxima

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.