Correio do Minho

Braga, sábado

- +

Ciclo de vida de um produto

E tudo o mais que a seguir se verá…

Ciclo de vida de um produto

Escreve quem sabe

2020-01-06 às 06h00

Álvaro Moreira da Silva Álvaro Moreira da Silva

O ciclo de vida de um produto é uma representação histórica das diversas fases percorridas por esse mesmo produto. Desde o seu desenvolvimento inicial à introdução no mercado, ao crescimento e à sua maturidade, até ao seu declínio e eventual morte, a análise do ciclo de vida permite reconhecer em que fase da sua vida se encontra. Em cada uma destas fases, resultado de diversos fatores internos e externos, estima-se que determinados produtos tenham indicadores de procura e lucro não uniformes. Outros, por sua vez, apresentam indicadores bastante lineares. Se, por um lado, o pleno entendimento de cada um destes produtos e indicadores, nas suas diversas fases, representa um grande desafio para qualquer organização, permite, por outro, enfrentar novas oportunidades e ganhar vantagem competitiva pela utilização da informação adquirida. Sendo verdade que a função de marketing aplica profusamente este tipo de instrumento nos seus processos e iniciativas, as funções de compra, inventário, previsão e planeamento, entre outras, empregam-no da mesma forma para desencadearem estratégias eficazes, alavancarem vendas e aumentarem assim a geral satisfação dos seus consumidores.

Não sei se repararam, mas já se encontram muitos veículos totalmente elétricos, de marcas diversas, nas nossas estradas. Tenho assistido a um número crescente de diversos modelos disponíveis para compra, alguns a um preço de venda aparentemente acessível. As temáticas «mobilidade elétrica» e «sustentabilidade» estão seguramente em máximos, com diversas empresas bem estabelecidas presenteando-nos com gamas diversas de veículos não somente híbridos, mas, também, totalmente elétricos. De acordo com a organização mundial IEA, no seu relatório anual (“Global EV Outlook 2019 – Scaling up the transition to eletric mobility”), a introdução de carros elétricos tem crescido rapidamente nos últimos anos, com o inventário global ultrapassando já os 5 milhões em 2018, um aumento de 63% em relação ao ano anterior. Cerca de 45% dos carros elétricos em circulação, em 2018, estavam na China - um total de 2,3 milhões - em comparação com 39% em 2017. Por outro lado, a Europa representava já 24% da frota global e os Estados Unidos aproximadamente 22%.

Pela leitura deste relatório e de artigos diversos relacionados com a complexa indústria automóvel, verifico que alguns destes produtos se encontram já numa fase avançada de crescimento, a par de outros que estão na iminência de ser introduzidos. Veja-se, por exemplo, empresas como a Tesla, inovadora por excelência no setor, cujo atual desafio é o da consolidação da curva de crescimento de alguns dos seus modelos, como o Modelo S, e a introdução de novos e incríveis modelos altamente sofisticados e tecnológicos, como o Cybertruck.
A componente analítica resultante da análise dos ciclos de vida auxilia quaisquer empresas a determinar se os seus produtos estão alinhados com as tendências dos mercados e se estes ainda são geradores de lucro. Desde as cadeias de vestuário e eletrónica até às alimentares, entre tantas outras, com a correta análise de cada um dos produtos em relação ao mercado e principais concorrentes, as empresas podem decidir melhor como dinamizar as suas gamas e produtos de forma a obter a maior longevidade e lucratividade. De salientar que este tipo de processo poderá tornar-se bastante complexo, computacionalmente muito exigente, em retalhistas com grande número de produtos, tal como acontece, por exemplo, nos supermercados.

No que respeita aos veículos automóveis, a verdade é que alguns modelos suportados apenas por combustíveis fósseis estão a entrar em declínio e, porventura, acabarão por morrer. Doravante, acredito que as grandes marcas continuarão a acompanhar esta tendência dos veículos amigos do ambiente para melhor posicionamento estratégico, e que as cidades apostarão nessa evolução com mais e melhores infraestruturas.
No passado dia 31 de dezembro de 2019, fechou-se um novo ciclo, num ano verdadeiramente exigente. Se, por um lado, o Pai Natal não me presenteou com um veículo moderno, talvez o Modelo S da Tesla, ou até um pequeno Fiat 500e, acabei por terminar o ano com um padrão que desejo uniforme para todos nós: saúde, alegria e amor, na presença fiel dos amigos e da família.
*com JMS

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho