Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

“Como falamos de livros?” – PNL2027

O símbolo internacional (quase universal) do amor

Voz às Bibliotecas

2022-11-03 às 06h00

Carla Araújo Carla Araújo

Decorreu no passado dia 24 de outubro, na Fundação Calouste Gulbenkian, a habitual conferência anual do Plano Nacional de Leitura 2027, que elegeu como tema para debate e reflexão a questão, em jeito de desafio: “Como falamos de livros?”. Foi intencional na escolha do tema a necessidade de problematizarmos sobre como é, efetivamente, a nossa relação com os livros; como assumimos essa relação no nosso dia a dia; como a afirmamos nos diversos fóruns por onde nos movimentamos; como conseguimos influenciar os outros com o nosso compromisso com os livros e com a leitura, entre outras tantas considerações. Durante todo o dia, e com a participação de diferentes agentes e intervenientes do setor, sequenciou-se a questão de partida em diferentes perguntas mais direcionadas e focalizadas, como por exemplo: “Como falamos de livros na comunidade?”, “Como falamos de livros na formação de professores?”, “Como falam de livros os agentes culturais?”, “Como falamos de livros nas escolas?” e ainda “Como falamos de livros no Reino Unido?”. Logo na sessão de abertura, o Ministro da Educação, João Costa, deixou bem vincada na sua intervenção a ideia de que o maior desafio do Plano Nacional de Leitura 2027 será o de conseguir converter os não leitores em leitores, assim como o de envolver nesse desígnio outras áreas, que não só o setor do ensino e da educação. Na mesma linha de pensamento, a Comissária do Plano Nacional de Leitura 2027, Regina Duarte, reforçou a ideia de que a discussão atual é, precisamente, a de como conseguir envolver outras áreas da sociedade, assim como outros novos contextos para além da escola, nesta missão que é do PNL2027, mas que se pretende que seja um desígnio nacional. Foi, portanto, por meio de um diversificado conjunto de oradores e convidados, especialistas ou amadores, pois todos têm lugar na discussão, que o tema foi sendo abordado e explorado. Houve oportunidade de ouvir professores, alunos, agentes culturais, agentes institucionais, académicos e investigadores. Inserido na programação do evento, e como vem sendo habitual, foi ainda entregue o “Prémio Ler+” a Luís Manuel Crespo de Andrade, professor da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova De Lisboa. O Prémio Ler+, instituído pelo Plano Nacional de Leitura 2027, reconhece e visa galardoar, em cada ano, personalidades ou entidades que se tenham destacado na promoção da leitura e da escrita, assim como na melhoria dos índices de leitura dos portugueses. No final dos trabalhos, e por meio de testemunhos gravados, foi possível assistir aos contributos para reflexão trazidos pela Senhora Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, pelo Senhor Ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva e, por fim, o testemunho de Sua Excelência o Senhor Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Bibliotecas

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho