Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

De Famalicão para o Mundo

Poderá o phygital acentuar a relação dos leitores com as suas bibliotecas?

De Famalicão para o Mundo

Ideias

2020-12-03 às 06h00

Leonel Rocha Leonel Rocha

Oúltimo grande projeto na área da educação que o Município construiu com e para as escolas chama-se de “De Famalicão para o Mundo”. Trata-se de um programa que tem por objetivo trabalhar os valores patrimoniais famalicenses, seja do património material (monumentos e lugares históricos), seja do património natural, seja do património imaterial (tradições, folclore, expressões artísticas, etc), seja, ainda, do património humano, conhecendo e inspirando-nos nos famalicenses que se destacaram e que nos deixaram um legado importante, quer pela obra, quer pelo exemplo.
Há sempre a preocupação de que este “currículo local” não atrapalhe, nem se sobreponha ao Currículo Nacional, que não represente uma sobrecarga de trabalho para os já sobrecarregados professores, nem sirva para exacerbar o bairrismo provinciano de quem acha que apenas o que é nosso é que é bom. Serve este programa educativa para ajudar os docentes a integrar o “currículo local” no Currículo Nacional, mostrando aos alunos e ajudando-os a entender que aquilo que se aprende na história, nas ciências, na língua materna, etc também existiu em Famalicão, que este território deu importantes contributos para a história, para a descoberta de produtos inovadores, para o estudo do meio, etc.
Procura, com um trabalho estruturado e devidamente planificado, acompanhado com formação aos professores, contribuir para implementação da metodologia de projeto, promovendo projetos transdisciplinares, onde a arte se misture com a literatura, com as ciências e com a história e os alunos aprendam as implicações práticas dos conhecimentos adquiridos. De Famalicão é possível compreender o Mundo e o Mundo ajuda-nos a preservar e a amar Famalicão.
Trata-se de um projeto que procura abrir horizontes aos alunos de Famalicão, sem esquecerem as suas raízes e o quanto são importantes e corresponsáveis pelo desenvolvimento do seu território. Ajuda a perceber que conhecer bem Famalicão e todas as suas potencialidades em nada limita os seu sonhos e horizontes, mas ajuda-os a alcançá-los.
Um exemplo concreto que espelha bem as potencialidades do programa “De Famalicão para o Mundo” é o seminário que se realizou nos dias 25 e 26, do passado mês de setembro, intitulado “Em torno da memória do Holocausto e a ajuda humanitária”. Olhando à primeira vista, não vemos o que é que Famalicão tem a ver com esta temática: Portugal não entrou na II Grande Guerra, os Campos de Concentração existiram bem longe de Famalicão… Contudo, olhando mais atentamente para os factos, percebemos que Fa- malicão também não passou totalmente ao lado da II Grande Guerra, nem do holocausto, pois são vários os registos de famalicenses que estiveram presos nos campos de concentração. Também na sequência da Guerra Famalicão foi o destino de muitas crianças austríacas que, numa lógica solidária, foram enviadas para países que tinham melhores condições de vida do que a Áustria, país totalmente dizimado pela Guerra.
Muitas foram as famílias de Famalicão que acolheram crianças austríacas e há até uma destas crianças que cresceu em Portugal e que, mais tarde, casou com um famalicense e que vive e gosta muito de Famalicão. O programa “De Famalicão para o Mundo” pode ajudar os nossos alunos a perceber que não somos ilhas, mas que o que se passa por cá tem implicações noutros lados e o que se passa nos outros lados também tem repercussões em Famalicão. Queiram os professores agarrar esta ferramenta de trabalho e, estou plenamente convicto, todos sairão beneficiados, pessoal e comunitariamente.
Exemplo de quem sabe aproveitar estas oportunidades locais para ajudar os alunos a pensarem e irem mais longe nas suas ideias e nos seus sonhos, aproveitando também os conhecimentos e oportunidades globais para ajudar os alunos a desenvolverem uma cidadania local mais empenhada e consciente que o desenvolvimento do território depende do empenho dos seus cidadãos é a Professora Ana Maria Mendes, docente de Educação Moral e Religiosa Católica do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, uma das 6 finalistas do Prémio Global Teacher Prize Award Portugal de 2021 e foi distinguida com uma Menção Honrosa no âmbito da “Sustentabilidade Social”.
Trata-se de uma professora que aproveita os projetos como ferramentas e oportunidades, usando a metodologia de projeto para envolver os alunos na aquisição de competências que os ajudem a pôr em prática os conhecimentos que adquirem nas mais diversas disciplinas.
A Professora Ana Maria Mendes é mais um exemplo inspirador “de Famalicão, para o Mundo”.
Obrigados a todos os professores que inspiram e motivam, diariamente, os nossos alunos a sonharem com um mundo melhor e os ajudam a adquirir competências para construírem esse mundo com o qual sonham...

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho