Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +

Eletrificação da Linha do Minho: troço Nine-Viana do Castelo

Parecer (técnico)

Eletrificação da Linha do Minho: troço Nine-Viana do Castelo

Ideias

2019-07-17 às 06h00

José Maria Costa José Maria Costa

O dia 15 de julho assumiu uma importância histórica e um simbolismo muito grande para Viana do Castelo, para o Alto Minho e para a euro-região Norte de Portugal – Galiza.
Compreenderão os vianenses porque faço tal afirmação, pois a 4 de julho de 2011 a administração da CP anunciava que pretendia encerrar a ligação entre Valença e Vigo a partir do dia 10 de julho desse ano, por não ser rentável.
De imediato autarcas e empresários da Região Norte e da Galiza em uníssono discordam publicamente do fim dessa ligação ferroviária internacional e mobilizam-se com o apoio e enquadramento da Associação do Eixo Atlântico, da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, da Comissão de Coordenação Regional do Norte, das associações Empresariais de um e de outro lado da fronteira para inverter esta decisão.
Depois de inúmeras diligências, reuniões e contatos, no dia 12 de Setembro de 2011 reunem-se diversas entidades em Viana do Castelo, a convite do Presidente da Câmara de Viana do Castelo, e assinam uma declaração “ Modernizar a Ligação Ferroviária Porto/ Vigo, Potenciar a Euro-região Galiza – Norte de Portugal.”

Nessa declaração de compromisso afirma-se “Assim, os Autarcas, as associações Empresariais, os Responsáveis das Instituições de Utentes do Norte de Portugal e da Galiza reunidos hoje em Viana do Castelo com o objetivo de debater a necessidade de modernização da ligação ferroviária Porto - Vigo como pressuposto para potenciar a euro-região Norte Portugal Galiza concluem que:

1. É urgente e necessária uma ligação ferroviária moderna e competitiva, impondo-se a modernização da Linha do Minho, entre Vigo e Porto que permitirá ligar ambas as cidades servindo todas as populações ao longo da ferrovia, de cerca de 2 milhões de habitantes, representados hoje em Viana do Castelo;

2. Esta pretensão das comunidades do Norte de Portugal e da Galiza é técnica e financeiramente viável, podendo ser executada até ao fim deste quadro comunitário e representa um fator essencial para o desenvolvimento e competitividade económica e social desta euro-região e um serviço ferroviário de proximidade para as populações locais. “

Assinaram esta declaração os Presidentes das Câmaras de Viana do Castelo, Porto, Barcelos, Caminha, Vila Nova de Cerveira, Valença, os Alcaldes de Tui, Tomino, A Guarda, Vigo, Porrino, a CCDR- Norte, Deputação de Pontevedra, Conselheiro Infraestruturas Junta Galiza, Confederação Empresários Pontevedra, Associação Empresarial Viana Castelo, Associação Industrial Minho, Associação Comboios XXI, Associação Empresarial de Portugal, Associação Comercial e Industrial de Barcelos, GestinViana, e o Eixo Atlântico.
Após esta iniciativa o Eixo Atlântico e a CIM do Alto Minho desenvolveram e promoveram diversas iniciativas, reuniões, declarações que obteve a inclusão nas diversas declarações das Cimeiras Ibéricas do objetivo da modernização e eletrificação da Linha do Minho, ligação Porto-Viana Castelo – Vigo.

Por todas estas razões o dia 15 de Julho é um dia histórico para Viana do Castelo, para o Alto Minho e para a euro região Norte Portugal – Galiza e para a internacionalização desta região. A circulação ferroviária entre Porto e Viana do castelo entrou finalmente no século XXI, 141 anos depois da chegada do primeiro comboio a Viana do Castelo em 1878.
Os vianenses manifestam a sua gratidão ao ex-Ministro do Planeamento Pedro Marques e ao seu Secretário de Estado Oliveira Martins pelo impulso que deram em 2016 a este projeto e para que pudéssemos festejar este momento.

Os vianenses estão gratos às Infraestruturas de Portugal e à antiga REFER que nos seus diversos departamentos se mobilizaram para realizar esta obra de engenharia, pois sem a sua capacidade técnica e determinação não teria sido possível.
Os vianenses estão gratos a todas as autarquias portuguesas e galegas, às associações empresariais portuguesa e galegas que nos apoiaram desde a primeira hora e deram voz a este projeto, pois sem o seu apoio não teríamos conseguido este objetivo.
Os vianenses estão gratos ao Eixo Atlântico com especial destaque para o Secretário Geral Xoan Vasquez Mao, à CIM Alto Minho, à CCDR Norte e à Junta da Galiza que nos apoiaram desde o início e nos incentivaram para que este projeto fosse possível.

Os vianenses estão gratos ao Primeiro Ministro António Costa, ao Ministro das Infraestruturas Pedro Santos e ao Secretário de Estado das Infraestruturas Jorge Delgado pelo apoio incondicional que deram a este projeto e que constitui mais um marco para o desenvolvimento do Alto Minho nos fatores de competitividade a juntar já aos novos acessos rodoviários e marítimos ao Porto de Mar de Viana do Castelo.
Podemos afirmar com toda a segurança que hoje Viana do Castelo e o Alto Minho são um verdadeiro Território de Oportunidades.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.