Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

Formação profissional mais atractiva e com maior qualidade

As listas do Covid-19

Ideias

2010-12-30 às 06h00

Margarida Marques Margarida Marques

Actualmente cerca de metade dos estudantes do ensino secundário na União Europeia escolhem programas de formação profissional, optando por vias profissionais. Este tipo de formação permite que as pessoas adquiram os conhecimentos, competências e experiências necessárias para o sucesso no mercado de trabalho.

Dada a importância deste tipo de formação, os ministros da educação de 33 países, encontraram-se no início de Dezembro, com o objectivo de acertarem objectivos comuns para toda a União Europeia, que contribuam para aumentar a qualidade da formação profissional na Europa e torná-la mais acessível e pertinente face às necessidades das pessoas e das economias.

Uma vez que a Bélgica assumia a Presidência rotativa da União Europeia, o encontro teve lugar na Bélgica, em Bruges e juntou os ministros da educação de 33 países europeus (UE-27, da Croácia, Antiga República Jugoslava da Macedónia, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Turquia), representantes de empregadores e de sindicatos e da Comissão Europeia. No final acertaram-se objectivos partilhados pela educação e formação profissional para a próxima década e fixou-se um plano de acção para os próximos quatro anos, que ficará conhecido como o Comunicado de Bruges.

A Comissária Europeia para a Educação, Cultura, Multilinguismo e Juventude, Androulla Vassiliou, saudou a aprovação afirmando que 'a formação profissional tem de cumprir dois objectivos fundamentais: contribuir para a empregabilidade e o crescimento económico, por um lado, e para responder aos grandes desafios sociais, em particular, a coesão social'.

O Comunicado de Bruges anuncia a visão de um sistema de formação profissional moderno e atractivo, com acesso à aprendizagem em qualquer fase da vida; com mais oportunidades para a experiência e formação no estrangeiro, com mais cursos de qualidade, com uma maior inclusão e acesso de pessoas desfavorecidas.

Para além desta visão, os países presentes acordaram ainda um plano de médio prazo, com medidas concretas de apoio ao nível nacional e europeu. Exige-se assim dos países que incentivem os cidadãos a acederem à formação, que incentivem o desenvolvimento das escolas profissionais com o apoio das autoridades locais e regionais, que apresentem estratégias de internacionalização, que reforcem as colaborações com as empresas e que lancem estratégias de comunicação para destacar os benefícios da formação profissional e sensibilizar os jovens, as famílias e as empresas.

Esta reunião em Bruges foi mais um passo do já conhecido Processo de Copenhaga, lançado em 2002 e que prevê reuniões ao nível ministerial todos os dois anos. Este processo de Copenhaga, dedicado à formação profissional, mostra uma vez mais que o emprego é uma prioridade da União Europeia.
O CV Europass é, por exemplo, mais uma das iniciativas da UE para auxiliar os cidadãos na procura de um emprego. Trata-se de um template de CV harmonizado em 26 línguas, disponível on-line, que ajuda aos candidatos de emprego e já é utilizado por 10 milhões de europeus. Destes, metade têm menos de 25 anos.
O CV Europass foi lançado em 2005 e destinava-se originalmente aos jovens à procura de emprego e oportunidades no estrangeiro, embora actualmente seja cada vez mais utilizado internamente, ou seja, para candidaturas a postos de trabalho nos próprios países. O CV Europass também apresenta vantagens para as empresas e agências de emprego, ao facilitar os processos de recrutamento e favorecer a mobilidade dos trabalhadores.
Para terminar gostaria de mencionar um estudo de opinião lançado também em Dezembro, um eurobarómetro sobre as competências mais procuradas pelos empregadores no momento de recrutamento e onde acredito que a formação profissional pode ser vantajosa. Na lista das competências mais apreciadas estão a capacidade de trabalhar em equipa. A capacidade de comunicação, de adaptação a novas situações e de literacia e de capacidade de resolução de problemas. Consideradas muito importantes estão ainda a capacidade de utilização de novas tecnologias e o conhecimento de línguas estrangeiras. Ainda fundamental no recrutamento, de acordo com este estudo de opinião, é a experiência profissional. 87% dos inquiridos considerou-a fundamental no processo de recrutamento.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho