Correio do Minho

Braga, quarta-feira

Frieiras: quando o frio não vem sozinho

Uma carruagem de aprendizagens

Voz à Saúde

2018-11-06 às 06h00

Débora Oliveira

Apele do nosso corpo funciona como uma barreira protetora contra as agressões externas, mas nem sempre o consegue fazer com sucesso. Nos meses mais frios do ano, as frieiras tornam--se um problema comum. Também denominado eritema pérnio, as frieiras são lesões que ocorrem ao nível dos pequenos vasos sanguíneos da pele, por exposição ao frio. As frieiras são mais frequentes nas extremidades do corpo como os pés, mãos, nariz ou orelhas, mas podem aparecer em qualquer local. Não se sabe exatamente a sua causa, mas estima-se que poderá ocorrer uma reação anormal dos vasos sanguíneos quando são expostos ao frio e de seguida são reaquecidos.
Os sinais e sintomas mais comuns são vermelhidão da pele, comichão, inchaço, fissuras, sensação de dormência, queimadura e/ou dor intensa.

Os principais fatores que contribuem para o aparecimento das frieiras são: a exposição frequente ao frio, seja pela habitação em regiões ventosas e húmidas ou profissões que exijam manter as mãos muito tempo em água fria ou congelados; usar roupas ou sapatos muito justos e que não protejam a pele do frio e da humidade; o tabaco, por potenciar a vasoconstrição periférica; algumas condições e/ou doenças, como a anemia, diabetes ou lúpus. Além disso, ter um peso abaixo do esperado para a estatura pode tornar os indivíduos mais suscetíveis ao aparecimento das frieiras.
A prevenção é de grande importância no aparecimento das frieiras e pode passar por adotar medidas como a proteção da pele mais exposta ao frio – tente manter a pele quente e seca, dê preferência a mais camadas de roupa mais larga em vez de roupa justa e utilize calçado adequado à temperatura e humidade; evite contacto prolongado e repetido com produtos frios ou abrasivos, como águas ou detergentes; evite fumar; hidrate bem a sua pele; pratique exercício físico e tenha uma alimentação saudável, com manutenção de um peso adequado.

O tratamento das frieiras pode passar por utilizar fármacos vasodilatadores, sob indicação médica, juntamente com as medidas gerais de prevenção já mencionadas.
Na maioria das situações, as frieiras resolvem de forma espontânea num período entre uma a três semanas. No entanto, por vezes as frieiras podem ocorrer nas estações quentes, os sintomas podem ser graves e prolongados no tempo, podem surgir sinais de infeção (como febre ou úlceras) ou dificuldade de mobilização por dor intensa – e é por estas razões que deve procurar o seu Médico de Família. Apesar de serem um motivo de desconforto comum nos meses frios, as frieiras e as suas consequências podem ser atenuadas com os cuidados adequados. Proteja a sua pele neste Inverno!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.