Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

Hepatite A – estará o surto de volta?

Aprender, ler, escrever

Hepatite A – estará o surto de volta?

Voz à Saúde

2024-04-02 às 06h00

Joana Afonso Joana Afonso

O fígado é responsável pela digestão, armazenamento de energia ou remoção de toxinas do nosso corpo. Em caso de infeção pelo Vírus da Hepatite A (VHA) o fígado sofre um processo de inflamação designado por Hepatite A.
A Hepatite A é uma doença frequente em Portugal e, atualmente, estamos a assistir a um aumento do número de casos. Trata-se de uma doença autolimitada que cura ao fim de três a cinco semanas, não evoluindo para doença crónica. Raramente leva à necessidade de internamento hospitalar. É contagiosa, pelo que, pode originar surtos com pessoas infetadas durante várias semanas até meses.
Os sintomas são variáveis e podem incluir: febre, mal-estar, náuseas, vómitos, dor abdominal, falta de apetite, fadiga, urina escura, fezes de cor esbranquiçada ou até icterícia (coloração amarela na pele ou nos olhos). Em alguns casos pode ainda ser assintomática.
A transmissão do VHA é feita, essencialmente, por via fecal- oral, através da ingestão de alimentos ou água contaminados. O risco aumenta em caso de viagem para locais cujo saneamento básico não tenham as melhores condições. O consumo de carne malpassada, ovos mal cozidos, legumes crus mal lavados ou que não estejam cozidos, marisco e fruta não lavada podem acarretar um maior risco de contrair o vírus. É ainda possível o contágio pessoa-a-pessoa, havendo maior risco também através do contacto sexual, principalmente na prática de sexo oro-anal ou anal não protegido. Durante a gravidez, o feto não corre perigo se a mãe estiver infetada com o VHA.
O período de incubação médio ronda os 28 dias, podendo variar de 15 a 50 dias.
O diagnóstico de Hepatite A depende da história clínica e da notificação de sinais e sintomas. Em caso de suspeita deverá procurar o seu Médico Assistente, através do pedido de análises de sangue com pesquisa de anticorpos, este conseguirá confirmar a infeção por VHA.
A vacinação surge como a melhor forma de prevenção da doença, embora não faça parte do Programa Nacional de Vacinação português, pelo que, está disponível, mas não é gratuita. Recomenda-se a vacina para as pessoas que viajam muito ou que permanecem longos períodos onde a doença seja comum (Ásia, África, América Central e do Sul). Outras formas de minimizar o risco de contágio incluem o reforço da higiene pessoal, familiar e doméstica, nomeadamente, na confeção de alimentos cozinhando bem as carnes, legumes e ovos e lavando e desinfetando os alimentos antes de os consumir, na necessidade de lavar e desinfetar as mãos com frequência, no beber água potável ou engarrafada.
Não há um tratamento ou medicamento específico para a Hepatite A. Assim, o tratamento será dirigido ao alívio dos sintomas, aconselhando-se o repouso e a ingestão de muitos líquidos. Está totalmente desa- conselhado o consumo de álcool, bem como a toma de medicamentos que possam prejudicar o fígado. Recomenda-se o cumprimento de uma dieta rica em proteínas e pobre em gorduras.
Lembre-se, cuide de Si! Cuide da Sua Saúde!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho