Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

Inovação e Crescimento Futuro em debate na COTEC

Mitos na doença mental

Ideias

2017-05-20 às 06h00

Vasco Teixeira Vasco Teixeira

ACOTEC Portugal organizou o 14.º Encontro Nacional de Inovação, no dia 16 de Maio, no CEiiA em Matosinhos. Este encontro dedicado ao tema 'Inventar o Futuro - Liderar pela Inovação Colaborativa', promoveu um amplo debate sobre o desafio da procura de maior eficiência no presente e, simultaneamente, a geração de novas opções de crescimento futuro, para além de discutir sobre a importância das redes colaborativas como fonte de liderança de mercado e novo crescimento. Contou, como habitualmente, com a presença do Presidente da República, que é o Presidente Honorário da COTEC.
A COTEC Portugal tem por missão promover o aumento da competitividade das empresas localizadas em Portugal, através do desenvolvimento e difusão de uma cultura e de uma prática de inovação, bem como do conhecimento residente no País. A COTEC Portugal tem sido um agente determinante da inovação empresarial em Portugal, destacando-se em inúmeras iniciativas e implementação de estratégias para potenciar a prática efetiva da inovação, por exemplo, procura promover uma cultura de inovação como fonte essencial da competitividade empresarial.
O orador convidado para a sessão de abertura, Roland Kupers, partilhou a sua experiência no desenvolvimento de cenários e planeamento estratégico em empresas como a AT&T e a Royal Dutch Shell, explicando o que é a inovação, como inovar em ambiente de incerteza e como inovar em ambiente colaborativo.
A COTEC Portugal acredita que, traçando cenários e estabelecendo parcerias estratégicas, as PME poderão fazer mais e melhor inovação, usufruindo dos proveitos económicos que daí resultam. Neste evento, a COTEC apresentou um estudo de muito interesse para as empresas que pretendem crescer. O estudo, desenvolvido em parceria com a Deloitte, apresenta as barreiras ao crescimento das PME e mostra como as empresas inovadoras têm melhores desempenhos económico-financeiros do que as restantes.
Tivemos boas notícias no que concerne ao crescimento económico nos últimos meses. No entanto é necessário que o crescimento da economia portuguesa seja sustentável. Portugal necessita de reforçar a sua aposta no investimento no Conhecimento e na Inovação como alavanca para o crescimento socioeconómico e o desenvolvimento sustentável. Também o investimento na Educação e na Formação para o desenvolvimento de competências-chave é essencial para estimular o crescimento e a competitividade: as competências determinam a capacidade do país e das suas empresas para desencadear inovação, crescimento e aumentar a produtividade.
A relevância da investigação científica e tecnológica, que determina muitas das inovações tecnológicas, é hoje cada vez mais considerada como fator indispensável para garantir maior competitividade das empresas e gerar crescimento económico, como foi reconhecido por todos os Estados-Membros na Estratégia Europa 2020 para o Emprego e o Crescimento, ao adotarem o objetivo de afetar 3% do PIB na investigação e desenvolvimento (I&D), correspondendo a 1% provenien- te de fundos públicos e 2% do setor privado.
A percentagem do PIB para atividades de ciência e tecnologia corresponde também a um indicador do próprio desenvolvimento dos países. Segundo dados da Comissão Europeia (CE), atingir até 2020 a meta de investimento de 3% do PIB da UE em I&D poderá criar 3,7 milhões de empregos, e no aumento do PIB anual em 795 mil milhões de euros, até 2025.
O crescimento económico também dependerá muito da capacidade de se estimular a competitividade a nível regional. É, assim, crucial uma estratégia de desenvolvimento regional que aposte no desenvolvimento económico e tecnológico das regiões de uma forma efetiva, sustentável e inteligente. É preciso que se continue a promover atividades de I&D de base empresarial em setores e atividades económicas dirigidas a mercados de crescimento sustentado.
A promoção do empreendedorismo é também um dos vários contributos para ajudar ao crescimento da economia, de promover mais exportações, da criação de mais emprego, e contrariar a emigração e fuga de jovens altamente qualificados.
A Estratégia Europa 2020 lançou novos desafios às regiões europeias, traduzidos na agenda temática definida pela CE visando a promoção de um Crescimento Inteligente, Sustentável e Inclusivo.
Perante esse enquadramento a Região Norte e seus organismos reconheceram a necessidade de delinear a sua estratégia de desenvolvimento sustentável 2020, uma estratégia com futuro, de ação coletiva, com base numa abordagem transdisciplinar e integradora de ideias e projetos. Foi assim elaborada e implementada a “Estratégia de Desenvolvimento Regional Norte 2020” que visa dar resposta aos desafios lançados na Estratégia Europa 2020.
A falta de financiamento é um dos principais obstáculos à inovação nas regiões. Estudos da CE sobre o desempenho em termos de Inovação nos países da UE e, em particular, do ranking para a Inovação Regional, mostram claramente diferenças e são atribuídas à implementação eficaz de políticas públicas, instrumentos de financiamento público e ao investimento privado em inovação.
As regiões com um sistema bem desenvolvido de apoios financeiros públicos à inovação, em que uma percentagem elevada de empresas inovadoras recebe apoio financeiro público, são também mais inovadoras do que as regiões onde é menor o número de empresas que beneficiam de tal apoio.
Para o “Crescimento Futuro” é preciso continuar a apostar no investimento no Conhecimento e na Inovação!

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.