Correio do Minho

Braga,

- +

Março, Poesia e Sophia

Pensar fora da caixa

Março, Poesia e Sophia

Voz às Escolas

2019-03-25 às 06h00

Maria da Graça Moura Maria da Graça Moura

É inevitável, no mês de março, não lembrar as datas comemorativas, pelo seu significado e pela sua pertinência. Impossível ignorar as razões que nos levam a lembrar a importância histórica, cultural, social, cívica e ambiental que envolve estas datas e as enchem de sentido, dando-lhes relevância nacional e mundial.
Dia 21 de março - primavera, floresta e poesia, conjugadas de forma harmoniosa e estética! A Primavera surge primeiro e traz consigo o esplendor da metamorfose, com tudo a desabrochar: flores, cores, aromas, sol, calor, dias maiores, aves a regressar, árvores a rebentar! O dia 21 de março beneficia destes encantos que embelezam o Dia Mundial da Floresta. E ainda outro acontecimento, também de significado maior: o Dia Mundial da Poesia! Num contexto mais institucional, março é definitivamente o mês da poesia! E embora os poetas, todos os dias do ano, nos prendam com as suas habilidades criativas de “vestir” as palavras com sensações, emoções e sentimentos, a verdade é que março é um mês especial. Este ano 2019, escolas, bibliotecas, museus, teatros, municípios, todos, quiseram dedicar as múltiplas atividades à comemoração do centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen com um vasto e diferenciado reportório. Espetáculos, colóquios, dança, música, artes plásticas, cinema, teatro, exposições, leituras, concertos, prémios, de tudo um pouco se faz na ampla esfera de afetos e influências de Sophia para celebrar os cem anos desta poetisa maior. Homenagear Sophia de Mello Breyner é promover o conhecimento da sua obra. Além da literatura infantil, Sophia escreveu também contos, artigos, ensaios e teatro. Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu a 6 de novembro 1919, na Casa Andresen, no Porto, onde hoje está instalada a Galeria da Biodiversidade. Foi aqui que Sophia viveu e cresceu, sendo os grandes jardins da casa o mote de inspiração de alguns dos seus contos e poemas. Publicou os primeiros versos em 1940 e em 1944 publicou os primeiros livros para a infância que escreveu para ler e contar aos seus filhos - A Menina do Mar e A Fada Oriana, o Rapaz de Bronze e a Floresta, entre outros.
O Município de Braga e a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva dedicaram inteiramente o programa de ‘Poesia ao Centro’ a esta grande poetisa portuguesa com múltiplas manifestações, em diferentes espaços.
No âmbito da Semana da Leitura, teve lugar a "Marcha da Leitura Braga ALer+", organizada pelo Município de Braga, Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva e Rede de Bibliotecas de Braga. Os alunos do Agrupamento de Escolas André Soares juntaram-se a outros de vários agrupamentos e encheram a Avenida Central, oferecendo poemas de Sophia a todos os transeuntes. A Semana da Leitura, que se realiza a nível nacional, visa promover e sensibilizar as escolas e comunidades em geral para a necessidade de cultivar hábitos de leitura.
Em todas as escolas se desenvolveram múltiplas atividades, com o objetivo de festejar a leitura como ato comunicativo, criativo e expressivo, num diálogo permanente entre a literatura, as artes e a ciência.
E festejar rima com pintar, atuar, criar, falar, anotar, relembrar, estudar…

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

28 Junho 2021

Renascer

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho