Correio do Minho

Braga, quinta-feira

Natal de Esperança

A União Europeia e os Millennials: um filme pronto a acontecer

Escreve quem sabe

2013-12-21 às 06h00

Fernando Viana

Onatal de 2013 tem de constituir como um natal de esperança para todos. Os portugueses têm vindo a passar por um mau bocado. A crise económico-financeira que tem fustigado o país desde 2008, tem contribuído para alterar a fisionomia de um país onde o número de desempregados não tem parado de aumentar até há pouco tempo atrás para atingir o impressionante número de um milhão de desempregados. Um quarto das famílias viram pelo menos um dos elementos perder o emprego e uma em cada dez famílias vive em situação de pobreza efetiva, ao ponto de não conseguir meios para assegurar o pagamento de despesas básicas como os medicamentos, a água ou a fatura da eletricidade.

O processo de ajustamento que os credores externos e as instituições financeiras internacionais a que o país recorreu, nos impuseram, deixaram mossas. O descontentamento social não tem parado de aumentar, como que a comprovar que “casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão”.

Porém, não nos podemos esquecer que se “não há bem que sempre dure”, também “não há mal que não se acabe” e de facto, nos últimos meses, existem alguns sinais macro-económicos que são encorajadores. Num clima recessivo (e depressivo) é bom que se olhe para estes sinais, é bom que eles sejam falados, na medida em que na economia como na saúde, uma parte do tratamento também é psicológico. As pessoas estão fartas de desgraças, havendo mesmo muitos que desligam ou mudam de canal na hora dos telejornais. Tudo o que acontece é de imediato politizado e utilizado como arma de arremesso.

Parece contudo que é inegável que neste momento:
• As exportações portuguesas aumentaram 5% em 2013, relativamente ao ano transato, que já tinha sido o melhor ano de sempre nesse capítulo, ao ponto de termos conseguido uma balança comercial superavitária;
• A economia cresceu 0,2% no terceiro trimestre deste ano, comparativamente ao segundo e tecnicamente falando, o país saíu da recessão;
• A taxa de desemprego, segundo dados do INE, está neste momento nos 15,6%, estando a diminuir há 7 meses consecutivos, depois de ter atingido os 17,3%;
• O valor médio da avaliação bancária aumentou o,5% em Outubro;
• O índice de confiança dos consumidores e o indicador de clima económico aumentaram;
• O índice de vendas a retalho aumentou ligeiramente em termos homólogos.

Para muitos estes dados podem ser considerados insuficientes, mas estamos na ápoca de natal e as pessoas precisam de se animar. Vamos acreditar que as coisas estão a mudar e para melhor.
A todos votos de um Feliz e Santo Natal.
Para qualquer dúvida aqui ficam os nossos contactos: CIAB, em Braga: na R. D. Afonso Henriques, n.º 1 (Ed. da Junta de Freguesia da Sé) 4700-030 BRAGA * telefone: 253617604 * fax: 253617605 * correio eletrónico: geral@ciab.pt

Em Viana do Castelo: Av. Rocha Páris, n.º 103 (Villa Rosa) 4900-394 VIANA DO CASTELO * telefone 258 806 269 * fax 258806267 * correio eletrónico: ciab.viana@cm-viana-castelo.pt
Ou diretamente numa das Câmaras Municipais da sua área de abrangência.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.