Correio do Minho

Braga, sábado

Noite de Natal sem a família

Mais uma vez, um novo ano escolar

Escreve quem sabe

2015-12-20 às 06h00

Joana Silva

Dezembro tem uma das festas mais emblemáticas do ano, o Natal! Todos os espaços estão decorados a preceito e até a televisão “invade” o imaginário com spots publicitários da família perfeita que convive à volta de uma mesa farta e ao longe avista-se o pinheirinho a “abarrotar” de presentes. Serão assim a maioria das famílias?! Não…até porque o espirito de Natal é vivido/sentido de diversas formas.

Talvez por esta razão, algumas pessoas desejam que esta quadra termine o mais rápido possível, numa espécie de “Adormecer e só acordar no dia 2 de Janeiro”. O Natal tanto pode ser sinónimo de felicidade, como de tristeza, sobretudo para quem passa esta quadra sozinho(a). Infelizmente nem sempre é possível celebrar os dias festivos que se avizinham junto daqueles que mais se ama. Os nossos emigrantes, que infelizmente não tem oportunidade de voltar a casa, ora porque se encontram a trabalhar, ora porque as possibilidades financeiras não o permitem. Também para todos (as) aqueles em que a vida tem sido injusta (divórcios ou morte de entes queridos), esta quadra pode ser profundamente dolorosa, especialmente para quem à partida se encontrará sozinho(a).

Há quem diga que sempre se pode celebrar o Natal em qualquer altura do ano, mas para a maioria não tem o mesmo significado. Mesmo que não tenha a oportunidade de passar esta quadra acompanhado(a) pode sempre também torná-la especial. Como?! Por exemplo, decorar e “alegrar” o ambiente da sua casa com decoração natalícia, se sentir-se emocionalmente confortável claro, pois em algumas pessoas esta ação reativa/acentua a tristeza.

Também pode sempre desfrutar de uma ceia de natal “à sua maneira”, isto é, preparar os doces típicos de Natal conjuntamente com o seu prato preferido que ao longo do ano nem sempre tem tempo para confeciona-lo. Compreende-se no entanto que se questione “Cozinhar só para mim?! Não tenho apetite.” Você merece ser mimado e se os outros não o podem mimar a si, mime-se a você mesmo, com tudo do bom e do melhor. Coloque música ou aqueles filmes que há tanto tempo está para ver e não teve ainda oportunidade. Tente encontrar um motivo para a celebração, mais que não seja todos os sacrifícios difíceis que superou vitoriosamente.

Também pode optar por convidar, se for o caso, amigos que igualmente passam o Natal sozinhos. Na hora de convidar, afaste de si os pensamentos mais negativos “oh, o que vão pensar?!”. Certamente que vão ficar contentes pelo convite. Se ocorrer o inverso, isto é, se alguém o convidar, não hesite, vá. São os “Ss e os Ms” (medos e as hesitações) que nos impedem por vezes, de disfrutar de momentos felizes.

Participe também em eventos de animação natalícia ou faça voluntariado no decorrer das festividades, assim o seu pensamento não se concentra ou focaliza tanto no facto de pensar que vai passar o natal sozinho. Se eventualmente lhe surgir trabalho nestes dias, sempre pode equacionar aceitar. Uma mente ocupada a tristeza “não entra” e nestes dias a remuneração é melhor.

Deixe o otimismo fluir nesta quadra natalícia mesmo quando não tem motivos ou disposição. Sem esforço nada se consegue. Tente ver o lado positivo e tente não focar atenção nas coisas más. Dê valor às suas conquistas e valorize as coisas que realmente lhe fazem bem. De coração para si, votos de um FELIZ NATAL!

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.