Correio do Minho

Braga, sábado

O Escutismo em Portugal: relevância na educação das novas gerações

Mais uma vez, um novo ano escolar

Escreve quem sabe

2014-01-31 às 06h00

Carlos Alberto Pereira

No prefácio que escreveu para o ‘Escutismo para Rapazes’, é o próprio Baden-Powell que nos diz, com uma clareza cristalina, “não foi apenas para vos divertirdes e correr aventuras que vos fizestes escuteiros capazes e hábeis, mas que, tal como os pioneiros, exploradores e fronteiros que ides imitando, vos estais preparando para servir a vossa Pátria e serdes úteis aos outros que poderão precisar de auxílio. Tal é a aspiração dos melhores entre os homens.” Esta visão é ainda aprofundada e testemunhada pelo coronel John Wilson, colaborador de B-P na versão que hoje conhecemos do ‘Escutismo para Rapazes’, na introdução que escreveu para a primeira edição deste livro em língua portuguesa (1954): “A sua natural modéstia (referindo-se a B-P) não previa que as mesmas ideias atrairiam os rapazes de todos os países amantes da liberdade, mas, uma vez convencido de que assim era, logo se apercebeu de que havia lançado uma ideia - um movimento - que podia ser aproveitado para fomentar o compreensão, a amizade e a paz em todo o mundo.” Finalmente, esta intuição do educador Baden-Powell consolida-se no subtítulo do livro fundador ‘Manual de Educação Cívica pela Vida ao Ar Livre’.
O escutismo é, nos dias de hoje, o maior movimento de juventude e de educação não formal, para usar a classificação da UNESCO, em Portugal e no mundo. Esta estrutura educativa que educa para a vida, permitindo aos jovens crescer autónomos, pensar pela sua cabeça e orientar-se pelos valores da compreensão, da entreajuda, da cooperação e da solidariedade, enfocados pelos valores da justiça, da liberdade, da amizade e da paz, não pode deixar de estar atualizada e ter uma relevância fulcral, quer na educação, quer nas vidas de tantos e tantos jovens.
As organizações educativas de excelência são caraterizadas pela dialética entre três vetores:
• a necessidade de permitir que os jovens nelas encontrem o que procuram;
• a esperança no futuro, com uma missão reservada aos adultos de proporcionarem aos jovens instrumentos de “autogovernança”;
• o desejo materializado pela ação na lucidez que a todos deixa feliz.
O Método Escutista define-se como um sistema de autoeducação progressiva que se desenvolve num ambiente lúdico, participativo e de vida ao ar livre em contacto com a Natureza enfocado por um quadro de valores plasmados na Promessa e na Lei do Escuta.
A sua importância na formação do futuro cidadão solidariamente ativo é, nos dias de hoje, universalmente reconhecida, pois os jovens aprendem a assumir as suas responsabilidades na condução do seu processo de autoformação, a desenvolver a sua autonomia e a viver em harmonia com a natureza e com a sociedade, assumindo a sua quota parte na construção de um mundo melhor.
O século XXI fez emergir novos problemas e desafios e é nesta atualidade que emergem os valores absolutos do CNE, mas “o Escutismo deverá pois, assumir em si uma nova dimensão: estar ao lado dos que mais sofrem «do corpo e do espírito», professando a nossa Fé diariamente em ações concretas e cristãs. O escuteiro, mais do que aquele que não o é, deverá ser mais responsável e comprometido com o «todo», aceitando inclusive o desafio de ir mais longe do que os outros cristãos. É ainda fundamental que o Escutismo seja portador de Esperança Cristã, de Caridade e dinamismo, num contexto de crise social. (...) É urgente olhar o futuro, não como será, mas como queremos que seja. O que fizermos hoje, será o resultado que teremos amanhã”, afirmação produzida pelo professor Marcelo Rebelo de Sousa, na conferência de abertura do Congresso ‘Escutismo: Educar para a vida no século XXI’, Lisboa, 9 e 10 de novembro de 2013.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.