Correio do Minho

Braga, quinta-feira

O otimista

‘O que a Europa faz por si’

Escreve quem sabe

2018-03-11 às 06h00

Joana Silva

Numa sociedade descrente, ser otimista tornou-se uma excentricidade. Ser otimista vai muito mais além do que ser brincalhão ou bem-disposto. Revê-se na atitude e na forma de estar diferente na medida em como encara as situações menos positivas do dia-a-dia. É frequentemente apelidado de forma incorreta é de “lunático” (ligado igualmente à imaturidade), quando por exemplo, acredita ou tem esperança de que lhe irá ganhar o euromilhões. A diferença é a de que o pessimista desiste “à primeira volta” o otimista não.

O pessimista é efetivamente pessimista porque não consegue analisar sob outro ponto de vista os seus problemas de que não o mau estando permanentemente em conflito e tensão emocional consigo próprio que transpõe para os outros, nomeadamente aqueles que são diferentes. Complicam pequenas situações em dramas sem resolução. Os otimistas não. São sonhadores que mais do que acreditarem nos seus projetos e objetivos acreditam em si próprios. Digam o que disserem, tem como característica a confiança inabalável em si próprios (elevada autoestima) e são destemidos perante o descrédito daqueles que os rodeiam sejam em comentários pessimistas (ex: “Não tem juízo. Sonha alto demais”) e atitudes depreciativas. Tem como traço da personalidade o entusiasmo, o que faz dos mesmos visionários em direção ao sucesso, seja profissional, social ou emocional, pela sua essência carismática.

Certamente que já ouviu a expressão “ter tudo de mão beijada”. Raro é otimista que tem um caminho fácil. Por norma, tem passados dolorosos que os tornaram fortes e resilientes aos tropeços da vida. São guerreiros com inúmeras cicatrizes emocionais. A titulo de curiosidade, sabia que se adquire durante a infância inconscientemente pelos pais os mesmos hábitos que estes e até a forma de estar perante a vida?! Quer-se com isso dizer que, pais ansiosos podem desenvolver a ansiedade nos filhos, por exemplo. Filhos pessimistas podem ter aprendido esta característica pelos pais pessimistas.
Todavia, também existem felizmente exceções à regra. Existem pessoas que independentemente do seu ambiente familiar menos positivo e digamos pessimista tornaram-se pessoas otimistas.

Qual é o segredo? As características diferentes da sua personalidade e a inspiração por parte de pessoas significativas (ex.: um amigo, professor, chefe, um familiar) que acreditam nas suas capacidades e potencial. Inspiram-se portanto em alguém e são inspirados no futuro por outras pessoas que reconhecem o otimismo como uma atitude feliz, versátil e importante perante a vida. Uma pessoa apenas, que dê suporte emocional e que impulsione positivamente para algo, pode mudar o destino para melhor de alguém.
O otimista não é aquele que só tem “dias coloridos”. O otimista apesar de ser um entusiasta por natureza , também fica triste. Mas, ao contrario do pessimista que lamenta, vê de outra forma o insucesso. A “lente” pela qual vê o que lhe acontece é que é diferente. Vê como lição em prol da melhoria de algo. Como reconhecer um otimista? Em primeiro lugar tem um bom coração e um bom carater. São pessoas amáveis, diplomáticas com grande capacidade de empatia (em muito pelo sabor amargo das vivencias que tiveram que faz com que sintam o que é estar em determinada situação) e são nobres nos sentimentos.

Falam com eloquência a linguagem do coração, a das emoções e cativam por isso mesmo. São únicos e prendem por cada palavra Só a forma como comunicam carregam brilho no olhar e um sorriso genuíno e tem atitudes e comportamentos não teatrais ou artificiais. Não tem receio de expressar os seus sentimentos e tristezas. Os otimistas não desistem do que desejam, muito pelo contrário lutam e “correm atrás”, com a mesma forma e energia da primeira vez e não importa as vezes que caíram. São “rivais” de si próprios e não do que os outros alcançam.
Focam-se exclusivamente nos seus objetivos com base na transparência. Cada um de nós tem sonhos que se podem sim materializar com uma atitude otimista.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

13 Novembro 2018

À descoberta de Guadalupe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.