Correio do Minho

Braga, terça-feira

O psicólogo na escola e a educação inclusiva

Desprezar a Identidade, Comprometer o Futuro

Voz às Escolas

2016-11-07 às 06h00

Maria da Graça Moura

A educação, instrução, socialização e acompanhamento dos alunos até à sua inserção na vida ativa. Assegura e promove a coesão social e desenvolve uma educação diversificada que se estende para lá das aprendizagens curriculares. É neste território de todos, e para todos, que crianças e jovens se sentem à vontade para exercitar as suas vivências e convivências, onde se dão encontros e se estabelecem relações, se questionam valores, sentimentos e ações e se procuram respostas para a construção do projeto de vida.

É na organização educativa que acontecem e se desenvolvem as situações de maior importância da vida dos jovens. Inevitavelmente, a escola não é apenas um campo de troca de conhecimentos, mas abrange a esfera emocional, onde se experienciam outros tipos de trocas, principalmente as afetivas. À medida que os alunos crescem e se envolvem no contexto, o ambiente escolar deixa de ser um mero espaço de aprendizagem formal e torna-se palco de frustrações, realizações, encontros, disputas, competitividade e dinâmicas de relações interpessoais. 

Entender a escola nesta perspetiva implica reconhecer a importância da sua dimensão psicossocial. É, por isso, imprescindível a intervenção de um psicólogo que observe o universo escolar e estude o ecossistema onde as aprendizagens e o ensino têm lugar, para melhor entender os mais variados diálogos da educação formal. A amplitude do seu trabalho nas escolas justifica-se pela pluralidade de situações que compõem o cenário educativo.

Diagnóstico, atendimento, avaliação e encaminhamento de alunos com dificuldades escolares, orientação a alunos e encarregados de educação, orientação vocacional e profissional, orientação sexual, formação e orientação de professores e assistentes operacionais, elaboração e coordenação de projetos educativos específicos que evitem comportamentos problemáticos e de risco.

A atuação do psicólogo nos dias de hoje assume uma crescente preocupação no âmbito de uma cidadania ativa, de um estado de direito, da exclusão e abandono escolar, entre muitos outros. Tantas vezes é chamado a intervir e a implementar medidas específicas para cada realidade, que quase sempre engloba aspetos sociais, familiares, escolares e individuais.

Turmas com elevado número de alunos dificultam a educação inclusiva, levando os professores a sentir a sensação de incapacidade ou impotência para atender à individualidade.
A educação inclusiva requer um grande esforço de toda a comunidade educativa, sendo múltiplas as situações onde a intervenção do psicólogo funciona como um mediador das equipas pedagógicas, principalmente quando os processos em causa envolvem questões ligadas a lideranças, valores ou normas que influem direta ou indiretamente com os estados emocionais dos professores ou dos alunos.

O psicólogo na escola é fundamental na procura da prevenção. Ao atuar de modo apropriado, contribui eficazmente para a organização coerente do trabalho educativo, o desenvolvimento psicossocial dos alunos e para a melhoria das práticas educativas.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

17 Setembro 2018

“Bons e maus Papeis”

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.