Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +

O que é qualidade do serviço no setor elétrico (e do gás natural) – I Parte

As Sete Fontes e o Hospital

O que é qualidade do serviço no setor elétrico (e do gás natural) – I Parte

Escreve quem sabe

2024-05-11 às 06h00

Fernando Viana Fernando Viana

O serviço de fornecimento de eletricidade (e de gás natural) incluem-se no âmbito dos serviços públicos essenciais, cuja lei confere um conjunto de direitos destinados a proteger os respetivos utentes.
Nos termos da lei dos serviços públicos essenciais, estes serviços devem ser prestados com elevados padrões de qualidade, neles devendo incluir-se o grau de satisfação dos clientes.
O fornecimento destes serviços aos utentes em geral e aos consumidores em particular envolve grande complexidade técnica que se reflete ao nível legislativo e regulamentar, com diversos normativos, sobre, por exemplo, a organização e funcionamento do Sistema Elétrico Nacional, ou as Relações Comerciais, ou a Leitura, Medição e Disponibilização de Dados, ou a Qualidade do Serviço.

Consideremos, por exemplo, a situação de um consumidor que é abastecido de eletricidade, sendo que a tensão nominal da rede que assegura o abastecimento se encontra significativamente abaixo da tensão nominal normal (em Portugal, a tensão nominal simples é de 230 V, com tolerância para menos de 10% e para mais de 6%, devendo os aparelhos elétricos estar preparados para funcionar sem problemas para estes níveis de tensão). Assim, se a tensão nominal se situar abaixo dos 207V, não só pode causar perturbações na iluminação e no funcionamento dos equipamentos ligados à rede elétrica, como pode danificar esses mesmos equipamentos.
Um dos princípios fundamentais na qualidade deste tipo de serviços é o da sua continuidade (fornecimento sem interrupções).

Podem, porém, ocorrer interrupções, seja por razões de serviço (reparação ou melhoria da rede), por facto imputável aos clientes (não pagamento dos serviços) ou acidentais (casos fortuitos ou de força maior).
A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) define anualmente um conjunto de padrões para um conjunto de indicadores individuais de continuidade do serviço que, quando são incumpridos pelos operadores da rede de distribuição (ORD) conferem aos clientes, independentemente de solicitação sua, o direito a uma compensação que os comercializadores devem creditar aos seus clientes na primeira fatura emitida após 30 dias do momento em que o ORD lhes remete o valor das compensações devidas aos clientes.

Sendo este um tema complexo, onde se podem colocar inúmeras questões iremos voltar ao mesmo na nossa próxima crónica.
Caso pretenda saber mais sobre este assunto, contacte o CIAB: em Braga: na R. D. Afonso Henriques, n.º 1 (Ed. da Junta de Freguesia da Sé) 4700-030 BRAGA * telefone: 253 617 604 * fax: 253 617 605 * correio eletrónico: geral@ciab.pt ou em Viana do Castelo: Interface Transportes de Viana do Castelo, Av. General Humberto Delgado* telefone 258 809 335 * fax 258 809 389 * correio eletrónico: ciab.viana@cm-viana-castelo.pt , ou ainda diretamente numa das Câmaras Municipais da sua área de abrangência ou em www.ciab.pt.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

18 Junho 2024

Caro Professor!

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login Seta perfil

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a Seta menu

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho