Correio do Minho

Braga, quarta-feira

“O Sucesso dos Atletas de Alta Competição na Escola – Uma UAARE em Braga”

Saúde escolar: parceiro imprescindível das escolas de hoje

Voz às Escolas

2018-06-25 às 06h00

João Andrade

Uma preocupação recorrente da comunidade educativa de Alberto Sampaio tem sido como conciliar o sucesso desportivo com o sucesso educativo dos diversos atletas, mitos com estatuto de alta competição, que frequentam as nossas escolas.
Esta preocupação deriva da perceção de uma das mais claras injustiças, no nosso entender, do nosso sistema educativo: ser atleta de atleta competição, nos dias de hoje, implica uma entrega diária, desde muito cedo, a treinos constantes e competições. Por inerência da natureza humana, é um processo que não é possível adiar. O tempo para preparação de uma carreira significativa, para o atleta e o País, é, normalmente, só um. Infelizmente, esse é também o tempo em que se exige ao jovem a preparação do seu futuro por via da escola. Assim, um jovem ambicioso (e os jovens desportistas, atualmente, são-no) é obrigado a manter duas vidas paralelas, ambas intensivas e de elevada entrega, inclusive temporal. Um jovem atleta de alta competição, além de cinco a sete horas diárias na escola, ainda tem de juntar todas as outras horas de preparação que a alta competição exige. A que se juntam as incontornáveis horas de estudo e o disfrute de uma vida privada, elementar direito de qualquer jovem.
Esta preocupação na conciliação do sucesso desportivo e escolar dos jovens não é exclusiva da escola. É-o, também, dos clubes desportivos e, obviamente, das respetivas famílias. No caso concreto dos clubes desportivos, essa preocupação, além de uma óbvia dimensão oral, resulta também da, cada vez mais clara, perceção de que as características que conduzem ao sucesso escolar são também as que conduzem ao sucesso desportivo: ambição, autodisciplina e rentabilização da entrega.
Neste contexto, o Agrupamento de Escolas Alberto Sampaio e os responsáveis da Formação do S.C. Braga vinham trabalhando, em conjunto, numa solução inovadora que permitisse o sucesso dos alunos da Escola e da Cidade Desportiva do Clube.
Tendo este trabalho chegado ao conhecimento da DGE - Direção Geral de Educação, a mesma lançou o desafio a que Braga se candidatasse a deter uma UAARE – Unidade de Apoio ao Alto Rendimento na Escola.
As UAARE são estruturas técnico-pedagógicas, criadas no âmbito da DGE, facilitadoras da conciliação do rendimento desportivo com o sucesso escolar, a funcionar em Escolas Polo ou Associadas, que alberguem alunos que também sejam atletas de alto rendimento, provenientes dos respetivos centros, de Federações, Associações ou de Clubes.
Apresentado este desafio ao Município, imediatamente as Vereadoras da Educação e Cultura e do Desporto, Dr.as Lídia Dias e Sameiro Araújo, aderiram ao desfio e operacionalizaram uma candidatura ganhadora da Cidade.
Tal, efetivamente, aconteceu, e no final do mês de maio é-nos comunicado que a candidatura de Braga foi bem-sucedida e que a Escola Secundária de Alberto Sampaio será Escola Piloto do Projeto no próximo ano letivo, passando posteriormente a deter o estatuto de Escola Polo UAARE.
As UAARE destinam-se a jovens atletas (do ensino básico ou secundário) com estatuto de alto rendimento desportivo, ou que enquadrem seleções nacionais ou, ainda, que evidenciem potencial talento desportivo (dependente de processo de validação pelas respetivas federações e Coordenação das UAARE). Um fator importante é que todos estes atletas são prioritários no acesso às detentoras de UAARE.
Pretende-se que estes alunos/atletas encontrem na UAARE de cada Escola, coordenada por um Professor Acompanhante (enquadrado pelo Decreto-Lei n.º 272/2009 de 1 de outubro), um apoio indispensável para coordenar e promover a articulação da sua difícil «vida dupla», com vista a alcançar e equilibrar o sucesso desportivo e o sucesso escolar, através da identificação e analise das dificuldades existentes na vida de cada um dos atletas alunos.
São, ainda, implementados apoios pedagógicos diferenciados, articulados entre a direção da escola, o professor tutor, os diretores de turma e conselhos de turma, bem como as entidades desportivas, treinadores e encarregados de educação.
A escola operacionalizará um espaço físico dedicado, denominado “Sala de Estudo Aprender+” que, de forma colaborativa e reflexiva com o respetivo conselho de turma, implementará o processo de diversificação e diferenciação pedagógica, mobilizando apoios presenciais e à distância com recurso a ambientes virtuais de aprendizagem.
Esta Sala de Estudo Aprender+ será o local de trabalho de uma equipa dedicada de professores especializados e alunos, onde, além do apoio regular durante o ano letivo, se previne, com antecipação, o impacto as diversas saídas anuais que a alta competição exige.
Devido a situações de desequilíbrios emocionais resultantes da sobrecarga (psicológica e física), estes alunos serão igualmente apoiados e acompanhados psicologicamente, procurando-se soluções e/ou apoios, nomeadamente em assuntos como a gestão dos períodos de sobrecarga, a definição de horários e rotinas, o apoio emocional e controlo da ansiedade e o enquadramento do sobre treino/estudo.
O Professor Acompanhante/Tutor é o interlocutor privilegiado entre a direção, o aluno, os professores, o diretor de turma, a federação e os encarregados de educação. Pode, sempre que necessário e por convocatória do diretor de turma, participar nos respetivos conselhos de turma, podendo, ainda, propor a lecionação de aulas de compensação, nomeadamente e relativamente às correspondentes faltas dadas (artigo 20.º, do Decreto-Lei n.º 272/2009 de 1 de outubro). Também monitoriza e propõe reajustes aos planos pedagógico e elabora, no final do ano letivo, o relatório final de aproveitamento escolar de cada aluno.
A pertinência do sucesso da candidatura da cidade de Braga, particularmente neste ano em que é Cidade Europeia do Desporto, conduziu a que o Agrupamento esteja a ser contactado por inúmeros atletas, masculinos e femininos, bem como por clubes das mais variadas modalidades (qualquer esclarecimento sobre a matéria pode ser feito junto da direção do agrupamento ou para o e-mail uaare@esas.pt).
É com contentamento sentirmo-nos parte de uma resposta que entendemos que a Escola Pública não poderia deixar de estar obrigada a dar.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

17 Setembro 2018

“Bons e maus Papeis”

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.