Correio do Minho

Braga, sábado

- +

Os Caminhos para Divulgação e Evolução das Tradições (segunda parte)

E tudo o mais que a seguir se verá…

Os Caminhos para Divulgação e Evolução das Tradições (segunda parte)

Escreve quem sabe

2019-10-09 às 06h00

Félix Alonso Cabrerizo Félix Alonso Cabrerizo

Fado Tradicional: trata-se de uma expressão musical adoptada pelo povo, com a função de divulgar alegrias e tristezas, vitórias e derrotas, alertas sociais, enfim, os seus estados de alma…
Os poemas populares encarregavam-se de escrever em verso sobre estes temas, e, muitas vezes, sobre pequenas histórias de bairro, normalmente faziam-no na forma de quadras, quintilhas, sextilhas, oitavas, décimas, decassílabos, etc. Desta forma, os cantores e cantadeiras começaram a criar músicas ou estilos onde coubessem essas rimas (muitas dessas músicas eram inspiradas nos pregões dos vendedores de rua). E foi assim que naturalmente este fenómeno se desenvolveu, no sentido de todos os estilos ou músicas já criados pelo cantador ou pelos tocadores de guitarra portuguesa (assim eram conhecidas à época), passaram a usar diferentes letras nas mesmas músicas e estilos.
Fadista Rodrigo (O Livro dos Fados, 180 Fados Tradicionais em Partituras por António Parreira, Edição: Museu do Fado, 2014, Montepio)

As palavras do Fadista Rodrigo, são um espelho perfeito e razoável, do que verdadeiramente é o Fado Tradicional, e em certa maneira vão ao encontro das teorias e pensamentos de Theophilo Braga, em sua obra «História da Poesia Popular Portuguesa», onde tem um apartado sobre o Fado, explicando e clarificando a importância de utilizar critérios de análise, baseados exclusivamente no aspecto musical, nunca em outras questões que desviam a atenção no Fado, em términos negativos e desvirtuam o mais interessante, a música, que é o verdadeiro tesouro, que tem sobrevivido até aos nossos dias, graças ao Fado Tradicional, e os imensos poemas que podem ser cantados pelos fadistas com seus respectivos guitarristas, etc.
O conhecimento musical está por cima de tudo, obviamente que a poesia é um bom aliado e fonte de inspiração para continuar com esta bela arte do Fado Tradicional, mais a música e o colorido que dá a identidade nacional, nela podemos ver todas as raízes da Lusofonia, porque a variedade de estilos do Fado Tradicional é imensa e criativa, e todavia temos muito por descobrir.
Eu tenho utilizado muito uma frase onde afirmo a minha apetência pelo Fado Tradicional e a minha doutrina e filosofia: «A Génesis da História do Fado é uma coisa muito genuína (um horizonte por explorar) e todos aqueles que conhecem o Segredo do Fado Tradicional, têm mais facilidade de descobrir e compreender a Origem do Fado» e, por este motivo, analisar a música é fundamental.
A base do Fado Tradicional, está edificado nos alicerces do Fado Menor, Fado Corrido e Fado Mouraria, a origem do Fado, e são de autor desconhecido ou música popular, e desta Trindade do Fado foram aparecendo paulatinamente os tais Fados Tradicionais, os fados estróficos, alguns nascem pelo âmbito da canção popular, como comentava e afirmava o Fadista Rodrigo, «muitas destas influências vinham das cantigas, dos pregões dos vendedores de rua».

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho