Correio do Minho

Braga, segunda-feira

Pela redução do IMI: Obrigado, Ricardo Rio

Como sonhar um negócio

Ideias Políticas

2013-06-18 às 06h00

Hugo Soares

Em 22 de Abril de 2008 (!), Ricardo Rio assinava no seu blogue pessoal e após a reunião da Câmara Municipal um artigo intitulado ‘A obrigação de descer o IMI’. Vem esta referência a propósito das recentes notícias e proclamações relacionadas com a descida do IMI, em Braga.
Tudo começou há muitos anos. Quando a maioria socialista optou constantemente por fixar no máximo os impostos cobrados aos bracarenses.

Desde essa altura, Ricardo Rio pugnava pela sua baixa. Defendia uma taxa competitiva que aliviasse as famílias. Mesquita Machado e a sua equipa sempre preferiram olhar paras as receitas como forma de concretizar obras megalómanas. Os nossos impostos pagaram oito milhões de euros de uma piscina olímpica que nunca viu a luz do dia.

Sucede que, há oito dias, a propósito da apresentação da sua candidatura à CMB, Ricardo Rio repetiu numa entrevista dada a este jornal o que sempre defendeu: “se for eleito Presidente da Câmara Municipal de Braga faço aquilo que sempre defendi: desço o IMI”. Ora, o candidato a Deputado nas eleições legislativas de 2015 (que pelo meio finge ser candidato à Câmara Municipal…) Vítor Sousa veio logo a correr, qual criança a quem lhe tiram um chupa-chupa, dizer que “eu também vou descer o IMI e em 10%”! Esta posição do candidato a Deputado nas eleições legislativas de 2015 se não fosse pelo ridículo, seria sempre (pela incoerência) uma posição absolutamente populista e demagógica.

Por onde andou o vice-presidente da Câmara na última década?
Não esteve na Câmara e na Assembleia Municipal a votar e aprovar taxas máximas de IMI?
Será que a vergonha na cara se perde por tentar um punhado de votos?

A verdade é que Ricardo Rio viu nesta posição de Vítor Sousa uma oportunidade de imediatamente baixar os impostos pagos pelos Bracarenses e assim submeteu já à próxima reunião de Executivo uma proposta de redução de IMI em 10%. Espante-se o leitor: a maioria socialista, pela primeira vez, sob proposta do Vice-Presidente e não do actual (?) Presidente de Câmara, a reboque, também agendou uma proposta semelhante. Assim, no jogo político e populista de Vítor Sousa ganharam os Bracarenses: porque este candidato a Deputado nas eleições legislativas de 2015 mostrou a sua coerência; porque o seu populismo permitiu a Ricardo Rio fazer acontecer, mesmo na oposição. Isto porque graças a Ricardo Rio os bracarenses passarão a pagar o IMI mais baixo já no próximo ano.

Uma nota final para explicar ao nosso leitor porque me referi sempre a Vítor Sousa como candidato a Deputado nas eleições legislativas de 2015. Não foi por descuido nem por engano. Foi propositadamente. É que Vítor Sousa diz-se candidato à Câmara Municipal, mas a única coisa que se lhe ouve é a tentativa de se aproveitar dos sacrifícios que os Portugueses estão a fazer - muito graças aos desmandos do seu Partido - para capitalizar esse descontentamento como votos para si.

Para Braga e de Braga nada se ouve. Mas é natural. Ele já era vice-presidente da Câmara Municipal de Braga e por isso é cúmplice por ação e omissão da piscina olímpica, dos parquímetros, dos impostos pelo máximo e das PPPs….

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias Políticas

27 Novembro 2018

25 Novembro sempre!

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.