Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +

Personalidade e carater

Plano de Desenvolvimento Pessoal, Social e Comunitário da ESMS

Personalidade e carater

Escreve quem sabe

2020-09-27 às 06h00

Joana Silva Joana Silva

É comum apelidar-se, aquele que tem condutas pouco corretas, de “não ter personalidade”. Não ter personalidade não é sinónimo de não ter carater. São conceitos diferentes, apesar de interligados. Por conseguinte, o termo personalidade abrange um conjunto de características ou traços psicológicos que se desenvolvem a partir do ambiente no qual se está inserido. A título de exemplo, alguém que ao longo da sua vida interagiu com experiencias impactantes e difíceis tem por norma, mais resistência psicológica a futuras situações de stress. As características psicológicas compreendem a área emocional, física e interpessoal. Assim, neste sentido, a emoção gera comportamento. Cada pessoa, tem a sua própria e única personalidade. Ninguém é igual a outra pessoa, logo pode ser-se calmo/a ou atento a sinais, nervoso/a, com auto-estima, divertido/a, ansioso, sociável, versátel, “desenrascado/a”, fruto das experiências de vida que moldam e constroem essa mesma personalidade. Por sua vez, o caracter assenta nos valores morais, ser ético ou não, a opção de seguir o caminho do bem ou o caminho do mal. É , por assim dizer , o poder de escolha. Daqui surge então a questão, qual a ligação entre personalidade e carater? Por forma a clarificar, um exemplo. Suponha que tem como característica da personalidade o dom da palavra. Aliado a um carater bom, pode orientar essa aptidão para influenciar positivamente as pessoas. Aliado a um mau carater a mesma característica poderá contribuir para enganar pessoas. Em jeito de conclusão do anterior exposto, as características pessoais são únicas mas a direção e a forma como “são utilizadas” referem-se ao carater em si. Hoje em dia as pessoas revem-se mais nos direitos que devem ter sobre o outro do que deveres que também devem ter com o outro. “Eu tenho de ter direito a…”, “Eu possso e devo ter…” , “Eu mereço…”, “Porque eu quero…” muitas vezes ultrapassando limites, numa vontade incessante, esquecendo-se porém que os outros também “tem direito a ter…”. Esquecem-se do “dever de ser corretos/as”, o “dever de agir de forma transparente e honesta”, o “dever de serem gratos/as”, o “dever de ser solidários/as.” Quer se queira, quer não, diariamente é-se obrigado a interagir com pessoas. Ninguém nasce com mau carater. Na verdade ele é construído com base nas experiências que se tem ao longo da vida e de certa forma “transformam” .Existem pessoas que tem caminhos e experiências difíceis de vida, mas que mesmo assim , onde tinham todas as razões para enveredar por caminhos maus, seguem o caminho do bem. E existem por outro lado pessoas, que viveram e conviveram em caminhos maus e mesmo assim por magoa e , continuam a imortalizar essas más experiencias “tratando mal” e de forma gratuita, a outras pessoas com as quais convivem. Por outro lado, também existem pessoas que aparentemente (“ aparentemente” porque o que pode ser na verdade não o é) foram favorecidos/as pela sorte e na verdade tem mau carater. As pessoas que tem mau carater, tem indiscutivelmente lacunas na própria vida. Falta algo. São pessoas que estão em constante conflito interno, porque nada as satisfaz. É como receber “um doce” e depois não apetecer ou perder o interesse. São igualmente pessoas revoltadas com a vida e tendem a ser mal-intencionadas daqueles que tem características psicológicas que eles próprios gostariam de ter. As pessoas com mau caracter não tem como matriz comportamental a conduta agressiva. Há aqueles que disfarçam e que na boa vontade exterior , escondem o que são na verdade. São pessoas que muitas vezes são ajudadas mas que mesmo assim são frias e insensíveis. Infelizmente o relacionamento com estas pessoas é inevitável ,bastante difícil e desgastante. Evite. Lembre-se, todas as pessoas de mau carater que entram na sua vida, serve para aprender a não ser assim. Estão “presas a grades e sem verem o sol ” na sua própria vida, sem nunca se chegarem a reencontrar ou a serem verdadeiramente felizes.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

27 Outubro 2020

Habitação acessível (I)

26 Outubro 2020

Atendimento no retalho

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho