Correio do Minho

Braga, terça-feira

Projeto: noventa anos a semear

Desprezar a Identidade, Comprometer o Futuro

Escreve quem sabe

2013-11-22 às 06h00

Carlos Alberto Pereira

A última grande atividade nacional, no âmbito das comemorações do nonagésimo aniversário do Corpo Nacional de Escutas - Escutismo Católico Português, realizou-se, no passado fim de semana, em todo o território nacional, materializando o desafio de cada agrupamento plantar de árvores.
Os objetivos desta ação de educação ambiental, de defesa da qualidade de vida têm enquadramento da Lei do Escuteiro - O escuta protege as plantas e os animais:
• Contribuir para as comemorações do aniversário de 90 anos do CNE, através de uma ação demonstrativa da identidade do CNE como entidade promotora da educação ambiental;
• Unir a associação em torno de uma campanha que espelhe a sua unidade em torno de uma ação conjunta;
• Promover a cidadania ambiental, consciente da importância das ações locais para a escala global;
• Incentivar a realização de ações ligadas à proteção da floresta, por parte dos Escuteiros;
• Motivar o aprofundamento de conhecimentos técnicos necessários ao desenvolvimento de ações eficientes na proteção das árvores e da floresta autóctone.
Para agilizar a participação, no respeito pelas particularidades de cada agrupamento e na valorização da autonomia dos mesmos, foram estabelecidas duas modalidades:
1. Uns organizaram a sua própria atividade de plantação, em articulação com Juntas de Freguesia e Câmaras Municipais. Nesta modalidade, e graças ao apoio financeiro das empresas SYSTEMAIR e DOSAPAC foram fornecidas 90 árvores aos Agrupamentos participantes.
2. Outros participaram nas atividades de plantação promovidas pelo Instituto Nacional de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e pela Junta Central do CNE.
O Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) foi a entidade responsável pela escolha dos locais previstos para a plantação (Rede Natura 2000, áreas protegidas, matas nacionais e estruturas verdes municipais) e pelo fornecimento das árvores (espécies autóctones) a plantar, a partir dos viveiros florestais de: Alcácer do Sal, Amarante, Montechoro e Malcata e de viveiros locais.
Simbolicamente, a ação inaugural realizou-se no dia 16, na Mata Nacional da Machada, no Barreiro, com as presenças do Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Eng.º Francisco Gomes da Silva, o representante do ICNF, o Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Carlos Humberto de Carvalho e o Chefe Nacional do CNE, Carlos Alberto Pereira que acompanharam os escuteiros das diversas idades e os “bombeiros mirins” na plantação de árvores que se alternavam entre filas de sobreiros e de pinheiros.
Em todas estas iniciativas de plantação em inúmeros locais espalhados pelo território nacional, estiveram envolvidos: três mil escuteiros de 60 Agrupamentos e plantaram-se sete mil árvores de floresta autóctone.
Também no Centro Escutista de Idanha-a-Nova, local de realização do último Acampamento Nacional do CNE, onde estiveram acampados 17.148 escuteiros, se realizou uma plantação de duas mil árvores autóctones, fornecidas pela Quercus graças à recolha de duas mil toneladas de rolhas efetuada, pelos Escutas, durante o ano de 2012.
Sem termos ainda presente o número da árvores plantadas no âmbito das iniciativas locais, no passado fim de semana, ao plantar mais de nove mil árvores autóctones, o Corpo Nacional de Escutas concretizou esta ação cujos frutos se materializarão na qualidade de vida das crianças que nascidas nos nossos dias, serão cidadãos dentro de 20 anos.

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.