Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +

Regresso às aulas: As escolas são lugares seguros?

Poderá o phygital acentuar a relação dos leitores com as suas bibliotecas?

Regresso às aulas: As escolas são lugares seguros?

Ideias

2020-09-10 às 06h00

Leonel Rocha Leonel Rocha

Todos os anos, na altura do regresso às aulas, há sempre muita apreensão, ansiedade e expectativas por parte dos alunos e dos pais, principalmente aqueles que vão pela primeira vez para uma nova escola ou vão mudar de ciclo de estudos. Há sempre a necessidade de saber se a escola oferece o melhor serviço aos alunos e se eles são acolhidos com toda a segurança.
Se a preocupação é legítima ano após ano, pois trata-se de confiar às escolas os tesouros que as famílias mais prezam – os filhos - a presente circunstância que estamos a viver no contexto da pandemia Covid 19 legitima e acentua ainda mais a ansiedade das famílias.
Há dias, o Município que honrosamente sirvo recebeu um mail de uma mãe, que elucida bem o que aqui estou a partilhar:

“Sou residente cá na cidade e tenho 2 filhos de 12 e 4 anos respetivamente (…). Estando a aproximar-se o início do ano letivo eu começo a ficar muito preocupada pela situação atual (Covid-19), e como poderão funcionar as aulas, e se este tipo de Estabelecimentos de Ensino tem condições reais para que haja aulas neles. Escrevo para sugerir ao Senhor Presidente da Câmara que trabalhe em parceria e articulação com a Sra. Delegada de Saúde do concelho de Vila Nova de Famalicão, porque estes Profissionais de Saúde estão dotados de Conhecimentos e Informações necessárias para que o próximo ano letivo corra da forma mais adequada tendo em conta a Pandemia. Parece-me que não é o Ministério da Educação e o Ministério da Saúde, em Lisboa, que vão ter perceção real das condições das Escolas nesta Cidade, pois encontram-se a 300km de Famalicão”.

Naturalmente que percebo bem a preocupação desta mãe e de muitas outras que, mesmo não escrevendo, também partilham destes receios, medos ou ansiedades pois também sou pai de alunos que frequentam as escolas do concelho, e tenho sobre os meus ombros a responsabilidade de gerir o pelouro da Educação do Município.
Asseguro que são preocupações comuns a todos os encarregados de educação e restante comunidade educativa.

Na resposta à senhora informei que o Municipio tem uma cultura de trabalho em rede há já vários anos, em vários setores, nomeadamente no setor da Educação, que abrange todas as escolas do concelho, IPSS, Federação Concelhia das Associações de Pais, representantes da DGEstE, etc. que se reúnem periodicamente para planear, avaliar, concertar estratégias de gestão local da Educação.
Disse ainda que o trabalho com as equipas de Saúde Escolar, no âmbito dos projetos de Educação para a Saúde e das condições de higiene e segurança das escolas já acontece também há muitos anos, nomeadamente em articulação também com o pelouro da Saúde Pública do Município.

Também referi que, no final do ano letivo anterior, se realizou, como habitualmente, uma reunião entre o Município e as direções dos Agrupamentos de Escolas do concelho, para preparação deste ano letivo que agora se vai iniciar. Dada a situação pandémica e as preocupações a ela associadas, foi convidada a Sra. Delegada de Saúde do ACES AVE, para uma reflexão conjunta sobre a situação e análise da Resolução do Conselho de Ministros nº 53-D/2020, de 20 de julho, que estabelece medidas excecionais e temporárias para a organização do ano letivo 2020/2021, no âmbito da pandemia da doença COVID-19.
Na sequência dessa reunião as técnicas de saúde agendaram uma ida à escolas para verificarem, in loco, se as medidas preparadas pelas respetivas direções estavam em conformidade com as orientações emanadas pela DGS.
Nesta semana já tive ocasião de reunir com todos os Diretores dos Agrupamentos de Escolas e pude constatar que as escolas estão a ultimar tudo para poder receber com máxima segurança possível os alunos, aguardando, porventura, mais alguma orientação final do Ministério da Educação e da DGS.

As Escolas já nos habituaram a um trabalho com máximo profissionalismo, com bons resultados, dando-nos garantias que tudo fazem para ajudar as famílias a fazer dos alunos e alunas, homens e mulheres bem preparadas para continuarem os seus estudos ou para exercerem bem a sua profissão e a sua cidadania.
Que tudo está a ser feito para que a escola funcione bem e não seja um foco de transmissão do COVID 19, com acompanhamento e ajuda do Município, não tenho qualquer dúvida…

Que as escolas são lugares muito mais preparados e com mais medidas de segurança do que a maioria dos lugares públicos que os jovens frequentam, também não tenho dúvidas…
Se todo este trabalho e todas as medidas adotadas serão suficientes para evitar qualquer contágio, não sei responder, nem ninguém pode dar qualquer garantia.
Vamos confiar no trabalho das nossas escolas, que têm demonstrado ser de grande eficiência e eficácia em todos os aspetos e ajudá-las a lidar com esta circunstância, que é nova e estranha para todos.
Bom ano letivo, com muita saúde.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho