Correio do Minho

Braga, terça-feira

Seguir em frente

Desprezar a Identidade, Comprometer o Futuro

Escreve quem sabe

2016-01-03 às 06h00

Joana Silva

A vida são ciclos que se renovam a cada passo. Talvez a maior realização do ser humano seja ser feliz! Mas esse caminho tem atropelos. Se neste preciso momento questionássemos um conjunto de pessoas em que lhes sugeríssemos para associar um sabor à sua vida certamente que as respostas seriam díspares. À questão: “A minha vida é…” iríamos ter respostas que se demarcariam entre “amarga” ou “agri-doce” comparativamente com “ doce”. Talvez por essa razão, muitas das vezes ouçamos, “ Na minha vida só tenho azares.”, e até, “Só os que praticam más ações, parecem ter sorte na vida!”. A vida é um misto de escolhas, opções e decisões quer boas, quer más que nos impulsionam para a linha da frente.

O ser humano não é por si um protótipo de perfeição. A vida tem a capacidade de transformar e de mudar, quer de forma positiva ou negativa. Com certeza que já mudou de opinião face a alguém que inicialmente tinha com “perfil” o de ser boa pessoa e num outro momento mais à frente constata que essa pessoa mudara. A razão? De entre muitas, talvez a vivência numa sociedade que se preocupa mais com o ter do que com o ser. Não é à toa que a vida portanto nos pareça injusta quando pessoas que se pautam pela falta de valores vençam na vida. De facto constatámos que a vida recompensa ou gratifica tanto às boas pessoas como as más pessoas.

E sofremos quando a vida recompensa quem não merece e também quando a vida da própria pessoa nada mais nada menos é, que um rol de problemas sem fim. No entanto, o rol de problemas que a vida nos coloca tem a capacidade de nos transformar em pessoas genuinamente belas. Pessoas que tem como características uma empatia muito elevada e são dotadas de uma sensibilidade e compreensão notáveis. Como se tornaram assim?! As batalhas da vida… (a doença; um divórcio; a perda de um emprego; dificuldades económicas; etc.) fizeram com que apreciassem a verdadeira beleza da vida e esta ganhasse outro sentido. Encontram no sofrimento a alegria e a motivação para prosseguir em frente.

Numa outra linha de reflexão, repare que mesmo a vida gratificando quem “não merece” não as torna mais felizes. Porquê?! Por são pessoas insaciavelmente insatisfeitas, por norma tem lacunas emocionais nas suas vida e tentam compensar as mesmas com a aquisições materiais ou “destruição” emocional do outro. E na maioria das vezes são estas pessoas que categorizámos de “tem tudo na vida” Será ?! Pois se assim fosse, então não teriam motivos para “destruir” emocional o outro. Há momentos em que tudo parece falhar.

Quando atravessámos um problema, tendemos a ficar desvastados, a tristeza invade a alma e o coração e todos os sacrifícios que se fez até ao momento foram em vão. Nem sempre o que se quer é o melhor para nós. Não desanime e siga em frente, os obstáculos de hoje podem ser meramente um novo caminho, na sua vida que o vai conduzir à felicidade. Não são as falhas ou erros que nos definem enquanto pessoas, estas sim, permite-nos evoluir e recomeçar em qualquer momento da vida que nos encontrámos. Bom ano!

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.