Correio do Minho

Braga, sábado

SIRESP 4

Investir em obrigações: o que devo saber?

Ideias

2017-07-04 às 06h00

Paulo Monteiro

SIRESP - Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal...
Que podemos dizer ainda deste sistema (SIRESP) e do seu funcionamento?
Muita coisa...
Devia ser um sistema para não falhar e falhou já por várias vezes.
Um sistema de parceria público-privada. Porquê?
Uma PPP com a inclusão da SLN (ligado ao Banco Português de Negócios), PT (que teve uma longa história até ser adquirida pela Altice) e Esegur (pertencia ao grupo Espírito Santo). Porquê?
Um sistema com gastos astronómicos. Porquê?
Um sistema que continua a custar muitos milhões ao Estado. Porquê?
Um sistema que nasceu no Governo de António Guterres e que passou por todos os outros governos (Durão Barroso, Pedro Santana Lopes, José Sócrates, Pedro Passos Coelho e António Costa)...
Um sistema cujo contrato iliba praticamente de tudo o SIRESP (ler, ou reler, o célebre ponto 17.2)...
Porque razão o Director da a Polícia Judiciária disse logo no dia 18 de Junho que o incêndio de Pedrógão Grande teve origem numa trovoada seca, afastando qualquer indício de origem criminosa?
Porque razão os registos meteorológicos não indicam essa trovoada seca?
Tantas e tantas perguntas poderiam ser feitas...
Não dou respostas, nem tiro qualquer tipo de conclusão. Nestes quatro dias de bons dias, o objectivo foi mostrar muito do que se passou e muitas dúvidas que ficaram e ficam no ar.
Cada um tire a sua própria conclusão desta dramática tragédia onde - isso é certo - muita coisa podia ter sido evitada.
Será que vão ser encontrados culpados? Ou, mais uma vez, a culpa vai morrer solteira?

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.