Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +

Sobre o Centro de Artes e desporto inclusivo da Synergia

Vamos falar de voluntariado…

Sobre o Centro de Artes e desporto inclusivo da Synergia

Ideias

2019-10-13 às 06h00

Manuel Barros Manuel Barros

Braga está mais rica! Conta agora com o CADI – Centro de Artes e Desporto Inclusivo, da Associação Juvenil SYnergia. Um novo equipamento de grande alcance comunitário, que inaugurado no passada quinta-feira. Um excelente projeto, que pretende afirmar-se na promoção de um conjunto de respostas sociais complementares, e de “proximidade inteligente”. Uma estrutura sem barreiras, de todos e para todos. Um espaço polivalente, aberto à comunidade e vocacionado para a prática de atividades inclusivas nas áreas do desporto, da educação e da cultura, que resultou da requalificação urbana de um equipamento público.
Decidi dedicar uma crónica a este projeto, pelo seu alcance e pelo simbolismo que representa. Uma apreciação pessoal na linha da reflexão anterior, sobre a construção de um Portugal para jovens, a propósito da apresentação do “Manifesto Nacional – Um Contributo do Movimento Associativo Juvenil”. Uma iniciativa, cujo processo de conceção e desenvolvimento, tive o gosto e oportunidade de acompanhar e participar, que se junta a um vasto leque de projetos e programas da Synergia, ao nível local, regional, nacional e internacional. Onde se destacam, o Centro Interpretativo de Educação Ambiental de Braga, o espaço TOCA, a implementação do projeto Empreender sem Fronteiras, o Centro de Medicina Desportiva de Braga, a Academia SYnergia. Para além de diversas ações internacionais, no âmbito dos programas ERASMUS + e do Corpo Europeu de Solidariedade, e do projeto de desenvolvimento comunitário na ilha de Santo Antão, em Cabo Verde.
Neste contexto, depois das eleições para a Assembleia da República, seria expectável que escrevesse sobre os seus resultados. Sobre os sinais que os portugueses quiseram deixar, através do elevado índice de abstenção. A ausência de uma maioria absoluta, que não editou uma nova geringonça. Desta vez mais concentrada ou mais alargada como se vaticinava. A pulverização de votos pelos novos partidos. Envolta num conjunto de preocupações, em relação a uma radicalização à esquerda e à direita. A crise política em que se mergulharam alguns dos partidos tradicionais. Um resultado eleitoral, que suscitou uma diversidade de juízos de valor em relação participação dos jovens. Apesar dos honrosos exemplos, que caraterizam este handicap do nosso sistema democrático.
Enfim, um manancial de temas e preocupações de emergência política, que estão na ordem do dia e foram mais ou menos tratados. Assuntos que reforçam a atualidade do projeto da Associação juvenil Synergia, pelo exemplo concreto dos jovens ao nível da participação cívica e da cidadania. Uma dinâmica desenvolvida de forma pragmática com o objetivo de encontrar respostas e soluções para problemas concretos das pessoas. Um projeto assente nas linhas programáticas da missão cultural, social, educativa, desportivo, recreativo, artística e de promoção da saúde da associação. Uma ação direcionada a uma população maioritariamente jovem, extensível a crianças e adultos, terceira idade e pessoas com deficiência, contribuindo para a melhoria efetiva da qualidade de vida, numa perspetiva intergeracional.
Um leque de atividades muito vasta. Integrada num processo de diálogo estruturado no que respeita aos instrumentos de participação, educação, emprego, mobilidade, igualdade. Um repositório de respostas concretas às aspirações dos jovens, que pretende fazer a diferença em relação às preocupações, aspirações e motivações, na linha do ideário do Associativismo Juvenil de “construção de um Portugal para jovens”. Um ideário da participação cívica, a intervenção comunitária e o voluntariado constituem dimensões inerentes a este projeto, através de mecanismos de formação não formal, que se traduzem numa relação solidária com potencialidades incomensuráveis, ao nível da prevenção dos riscos e da inserção dos jovens na vida ativa.
Um espaço sem barreiras, de todos e para todos, que envolveu 42 associações instituições educativas e de formação, e mais de 3000 utentes com necessidades especiais e/ou mobilidade reduzida. Uma excelente resposta da economia social, implementada numa parceria alargada à administração pública local, regional e nacional, onde pontuam juntas de freguesia, o município de Braga, o IEFP e o IPDJ. Um exemplo de exemplo de “proximidade inteligente”, que se vai afirmar pela qualificação dos quadros associativos e dos recursos humanos envolvidos, focado na execução das políticas integradas e descentralizadas nas áreas do desporto, da juventude, da inserção social e de apoio à “idade sénior”.
Um ecossistema empreendedor. Centrado na realização de uma grande diversidade de atividades, e na intervenção em sectores de carácter social, cultural, desportivo, humanitário, ambiental, científico, lúdico, educativo, sem que o lucro seja o objetivo da sua sustentação. Onde tive a oportunidade de constatar, a motivação e o sentido estratégico da equipa, e que se assume como a imagem de marca da Associação SYnergia. Assentes numa relação de afetos, e nos valores da tolerância, da convivência, do diálogo com base no respeito pela realização pessoal e social de todos os seus colaboradores e utentes, independentemente da sua idade e condição social. Um exemplo a ter em conta!

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias

10 Dezembro 2019

Regionalizarão?

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.