Correio do Minho

Braga, sábado

Somos um a: Caminhar - Edificar - Confessar

Mais uma vez, um novo ano escolar

Escreve quem sabe

2014-05-09 às 06h00

Carlos Alberto Pereira

Somos um, tema proposto para o próximo triénio do Corpo Nacional de Escutas cujo Conselho Nacional Plenário se reunirá em Fátima, nos próximos dias 17 e 18 de maio, para apreciar e votar de entre outros o novo plano trienal 2014/2016, que desafiará todos os escuteiros: crianças, jovens e adultos, a desenvolver um dos princípios definidos por Baden-Powell que afirma o Escutismo como uma fraternidade universal. Por isso, este tema se desenvolve no desafio: somos um, que se abraça.

Ao longo dos próximos três anos, as três palavras-chave do papa Francisco, proferidas na sua primeira homilia como sumo pontífice: Caminhar, Edificar e Confessar [Jesus Cristo Crucificado], marcam a dinâmica deste novo triénio, assumindo-se como rumos para cada um destes anos.
Para percorrer com vida estes rumos foram escolhidos três modelos, três símbolos, três desafios e três pistas para cada um dos anos do triênio. Assim, para 2104/15, no caminhar teremos a companhia de Abraão (o pai da fé) que, com a sua tenda, responde ao chamamento do Senhor: “anda na minha presença e sê perfeito”. Abraão, com total confiança, vai partir, com a família e bens, para a terra que o Senhor lhe prometera.

Em 2015/16, somos chamados a edificar o templo que há em cada um de nós e, tal como Francisco de Assis, também nós calçamos as sandálias e procuramos seguir a Voz que nos diz: “reconstrói a minha Igreja”, com a pobreza de espírito para vencer a pobreza humana e social, construindo a Paz.

Finalmente, em 2016/17, no rumo do confessar, tendo como fonte inspiradora Pier Giorgio Frassati, aceitamos o desafio de que “viver sem uma fé, sem uma luta constante pela verdade, não é viver mas somente vegetar”. Aqui, o piolet, tal como dá segurança ao alpinista ao seu percurso e segurando sua própria vida, agarra-nos à plenitude da fé e à vocação de cada um, plenamente vivida.

Este caminho de vida, através da qual se edifica a fé de cada um, edificando uma Igreja de Paz, alicerçada na Justiça, dando testemunho de Cristo, confessando a fé pelos atos praticados, tal como Abraão, Francisco de Assis e Pier Giorgio Frassati, vivendo plenamente a nossa vocação de escuteiros (e educadores) católicos e sendo hoje, tal como eles foram “nos seus tempos”, verdadeiros portadores da Boa Nova, semeadores de Esperança e construtores de Paz.

É o aprofundar a metáfora de Paulo: “é que, como num só corpo, temos muitos membros, mas os membros não têm todos a mesma função, assim acontece connosco: os muitos que somos formamos um só corpo em Cristo, mas, individualmente, somos membros que pertencem uns aos outros” (Rom 12,4).

Coincidência ou não, o secretário geral do movimento mundial do escutismo, Scott Teare, vai estar presente neste Conselho Nacional que se deverá congratular-se com a recandidatura do dirigente João Armando Gonçalves ao segundo mandato no Comité Mundial do Escutismo, formulando votos para que a Federação Escutista de Portugal (formada pela Associação dos Escoteiros de Portugal e pelo Corpo Nacional de Escutas) possa subscrever esta candidatura, cuja eleição decorrerá na próxima Conferência Mundial do Escutismo, a realizar em agosto de 2014, na Eslovénia. Recorde-se que este foi o primeiro escuteiro português a integrar o Comité Mundial - órgão executivo máximo do escutismo que liderar e anima mais de 37 milhões de escuteiros, em todo o mundo.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.