Correio do Minho

Braga,

- +

Um Natal Solidário

“Esforço orçamental” português para a saída da crise Covid-19 é um dos menores da zona euro

Um Natal Solidário

Escreve quem sabe

2020-12-09 às 06h00

Margarida Pereira Margarida Pereira

Em 1985, a Organização das Nações Unidas instituiu o dia 5 de Dezembro como o Dia Internacional do Voluntariado. Esta é não só uma forma de homenagear todos os voluntários, mas também um modo de chamar a atenção para um ponto essencial da sociedade.
A ONU define o voluntário como alguém que dedica parte do seu tempo, sem qualquer remuneração, a diversas formas de atividades direcionadas para o bem estar social ou outros campos. Acreditamos que o facto de ser uma definição tão abrangente é, também, uma forma de expressar a facilidade que cada um tem em integrar-se num mundo tão vasto como o do voluntariado.
É, precisamente, por ser algo tão amplo e vasto que não nos cansamos de desafiar os nossos leitores para dedicarem uma parte do seu tempo a uma causa maior, garantindo que, no final, terão consigo a sensação de missão cumprida.
O ano que vivemos está a ser, no mínimo, peculiar, pois sendo certo que todas as pessoas passaram por desafios, não podemos esquecer que existe sempre quem passe por períodos difíceis, independente de estarmos a atravessar uma pandemia.
Todas as pessoas que precisavam de nós, continuam a precisar da nossa ajuda, principalmente agora. Agora, é tempo de mostrarmos a humanidade que há em cada um de nós e deixarmos de olhar apenas por nós e pelos nossos, sendo um tempo de olharmos pelo nosso semelhante. Assim, vamos aproveitar este espaço para partilhar algumas formas de ajuda, numa quadra que é tão propícia ao altruísmo e à beneficência aos outros.
Por esta altura, é habitual vermos diversas recolhas de alimentos nas portas dos grandes hipermercados. Este ano, pelas razões que já todos conhecemos, as mesmas não podem acontecer. Contudo existem na mesma famílias que necessitam da ajuda das organizações, não só nesta época festiva, mas durante todo o ano.
O Banco Alimentar é um exemplo de uma organização que, com duas recolhas anuais, enche a mesa de quem passa privações durante todo o ano. Porém, este ano, teve de adaptar a sua campanha. Para ajudar podemos, de uma forma mais tradicional, pedir os vales disponíveis nos hipermercados, ou, de uma forma mais moderna e digital, contribuir através do site alimenteestaideia.pt. Contudo, se não puder fazer um contributo monetário, poderá sempre voluntariar-se no site do Banco Alimentar ajudando, por exemplo, nos armazéns.
A Comissão Social da Junta de Freguesia de S. Victor volta a compor a mesa de Natal de quem precisa, entregando um cabaz repleto de sabores natalícios. Esta iniciativa, que vem decorrendo ao longo dos anos, conta também com a sua colaboração. Se pensar nos sabores de Natal, certamente pensará no bacalhau, nas batatas cozinhas e, logo de seguida, o azeite. Este último é, sem dúvida, um dos bens essenciais mais caros e mais difíceis de doar. O instinto de qualquer pessoa é sempre doar mais, pois, pelo mesmo valor de uma garrafa de azeite, podemos doar dois ou três quilos de arroz ou massa. No fim de cada campanha de recolha de bens alimentares, foi-se percebendo que faltava azeite para temperar o Natal na casa das famílias em situação de vulnerabilidade. Foi assim que surgiu a Missão “Põe Azeite”, do Grupo Coral de Guadalupe e da qual temos vindo a falar. A JovemCoop orgulha-se de, todos os anos, associar-se a esta missão tão nobre.
Desta forma, no próximo sábado dia 12 de Dezembro, pelas 10h30 no Facebook da JovemCoop, iremos realizar mais um episódio da segunda edição dos Percursos Brácaros, com a nossa parceira e amiga Associação Braga+. Em jeito de contributo, pedimos a todos os participantes digitais para doarem uma garrafa de azeite, que podem deixar na Junta de Freguesia de S. Victor, ou podem entrar em contacto connosco através das redes sociais ou do e-mail info@jovemcoop.com para combinarmos a recolha da garrafa de azeite.
O projeto “Sonhos de Natal” é também uma excelente iniciativa para colorir o Natal de alguém. Consiste numa árvore, junto ao Museu dos Biscainhos, que tem, como enfeites ,cartões de utentes, de cinco instituições da cidade, e que transmitem os seus desejos de Natal. Apenas precisa de escolher um e dirigir-se ao Museu dos Biscainhos.
Como vê, caro leitor, feliz ou infelizmente, não faltam iniciativas para ajudar…basta um pouco de vontade e um coração aberto.
Despedimo-nos de 2020 com a certeza que este ano ficará na memória de todos. Faça com que fique como o ano em que começou o seu projeto social! Um Santo e Feliz Natal e que 2021 venha repleto de saúde!

Deixa o teu comentário

Últimas Escreve quem sabe

28 Fevereiro 2021

Amor por si próprio

26 Fevereiro 2021

Rolha na boca

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho