Correio do Minho

Braga, terça-feira

Uma cidade sustentável

O que nos distingue

Ideias Políticas

2014-04-01 às 06h00

Francisco Mota

Nos últimos tempos muitas vezes se tem usado o termo da sustentabilidade em Braga. Politicamente fica bem e nos discursos encaixa quase como um fato à medida. Mas muito mais que a apresentação de conceitos é necessário concretizar a intencionalidade dos factos.
Assim sendo é importante definir quais as áreas marcantes e estratégicas para a concretização de um programa como o da sustentabilidade. Na minha opinião teremos três grandes eixos de envolvimento da gestão da cidade que merecem a nossa especial atenção: o planeamento, o ambiente e a mobilidade.

O planeamento desde logo pelo facto de ser necessário repensar a cidade, implementando novas políticas que promovam a vida em cidade com mais qualidade e que por si só garantam a fixação territorial dos bracarenses. Olhar o horizonte de Braga é pensar hoje a uma ou duas décadas adiante, de forma a assegurar o futuro das gerações vindouras.

O ambiente, que hoje ocupa no seio do executivo municipal uma prioridade assumida, deve ser abraçado como o fio condutor de toda a sustentabilidade. Basta olharmos para aquela que é a aposta e as metas da europa até 2020 em matéria de alterações climáticas e sustentabilidade energética: reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em 20% (ou em 30%, se forem reunidas as condições necessárias) relativamente aos níveis registados em 1990; obter 20% da energia a partir de fontes renováveis; aumentar em 20% a eficiência energética.

A mobilidade deve ser vista como o meio para alcançar o sucesso do programa de sustentabilidade, porque esta proporciona a mobilização da sociedade para a mudança de hábitos diários que poem em causa a sustentabilidade do nosso planeta.

Desta forma a operacionalização do dito programa deve prever por parte do nosso município um investimento no Programa Eco XXI promovido pela ABAE que é direccionado para aqueles territórios que tem por ambição a conquista do galardão de município verde. Muito mais que empossar uma bandeira é importante pela disciplina que criar no ordenamento do território no que à sustentabilidade diz respeito.

Por outro lado é possível desde já iniciar-se uma política que caracterize uma nova marca para Braga: com a criação de um parque reservado a bicicletas em cada parqueamento automóvel como já acontece para os condutores de mobilidade reduzida; permitir que as bicicletas circulem nos transportes urbanos de braga; planear uma intervenção de arborização das avenidas e ruas do concelho; planear uma intervenção de fundo para a remoção de obstáculos que condicionam o uso dos passeios por parte dos transeuntes; dispor a cidade de acessos para pessoas com mobilidade reduzida; capacitar a cidade em cada passadeira de caixotes do lixo tal e qual como acontece em outras cidades da europa, pois são esses os locais de paragem por parte dos peões; programar as acções de limpeza dos locais públicos.

Estes são alguns dos exemplos de medidas que poderemos tomar em prol da sustentabilidade, mas como referi anteriormente o importante é termos a capacidade de planear a cidade a uma ou duas décadas adiante.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias Políticas

18 Dezembro 2018

Notas Soltas

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.