Correio do Minho

Braga, terça-feira

Uma Juventude a Pensar Braga

Caminho perigoso

Ideias Políticas

2016-06-28 às 06h00

Francisco Mota

Chega ao fim mais uma temporada enquanto cronista assíduo do Correio do Minho. Ao longo dos últimos anos tenho tido o privilégio de partilhar este espaço com cada um de vocês de uma forma clara, objectiva e realista daquele que é o meu olhar sobre a cidade, o país e o mundo.
Sempre com total desprendimento e convicto no pensamento tenho procurado dar o meu humilde contributo não apenas como político, mas sobretudo como cidadão atento que procura despertar consciências.

Acredito profundamente numa Juventude capaz de pensar o seu território, que desenvolva pontes com os seus agentes e que cresça com as suas organizações. Ter a capacidade de envolver gerações neste prepósito acarreta não só muito trabalho e dedicação como também aumenta a sua responsabilidade nas decisões futuras. É importante que seja a Juventude a marcar agenda política e é com essa certeza que a Juventude Popular de Braga tem trazido a debate as questões relacionadas com o tema “Braga Smart City”.

De acordo com um estudo da União Europeia, uma smart city é uma cidade que apresenta boa performance em seis indicadores: economia, mobilidade, governação, ambiente, vida e pessoas.
Os principais atributos de uma smart city são as capacidades de “pensar” e “reagir”, com um cérebro central que recolhe a informação e prepara a melhor resposta para cada situação, seja ele qual for, desde um problema de segurança, de energia ou de gestão de trânsito. Mas tudo está também relacionado com a competitividade.

Segundo António Pires dos Santos, Smarter Cities Business Development executive da IBM Portugal, «na IBM definimos a cidade inteligente como sendo aquela que impulsiona o crescimento económico sustentável através de uma análise integrada de informações de todas as agências da cidade e departamentos para tomar melhores decisões e antecipar problemas, resolvendo-os de forma proactiva e minimizando o seu impacto, aplicando uma coordenação dos recursos existentes e dos processos para responder aos eventos de uma forma rápida e eficaz».

Dessa forma desafio todos os bracarenses, em especial os mais jovens, a participar na Conferência subordinada ao tema “Smart Cities - Património e Cultura”, a ter lugar no dia 29 de Junho, pelas 21:30 horas, na Junta de Freguesia de S. Vítor com o um leque de oradores de excelência: Dr. Varico Pereira (Confraria do Bom Jesus) Dr Marco Sousa (Turismo do Porto e Norte de Portugal) e Dr Ricardo Silva (Presidente da Junta de Freguesia de S. Victor). Pretendemos relacionar o património e a cultura com as novas tecnologias, reflectir sobre o papel da igreja e do seu património cultural e religioso na cocepção de um novo modelo de cidade e ainda estes factores como impulsionadores do desenvolvimento turístico e económico na região.

A importância destes debates e conferências não se mede pelo imediato mas sim pelo ganho de escala ao longo do tempo. Alias, muitas pessoas sobrestimam o que podem fazer em um ano e subestimam o que podem fazer em dez anos, não dando lugar ao planeamento e as alterações diárias da urbe. Recordando um pensamento antigo “Sem um plano, o que é fácil torna-se difícil; com um plano, o difícil torna-se fácil”. Defendendo nós o compromisso geracional na acção pública é importante entender e compreender que o planeamento não diz respeito às decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões presentes.

Deixa o teu comentário

Últimas Ideias Políticas

23 Outubro 2018

Quatro em quatro

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.