Correio do Minho

Braga, terça-feira

Valorização da carreira docente

Sem Confiança perde-se a credibilidade

Voz às Escolas

2018-06-18 às 06h00

Maria da Graça Moura

Uma criança, um professor, um livro, uma caneta. Educação é a solução!
Educação primeiro!
Malala Yousafzai

Um final de ano letivo com instabilidade! Professores e educadores lutam por uma carreira docente digna e valorizada, que contemple a despenalização dos cortes salariais, o descongelamento do tempo de serviço, a atenuação do tremendo desgaste e envelhecimento natural, melhores condições para o exercício da profissão, políticas educativas que possibilitem melhores aprendizagens e a procura de inovações no campo educacional, condições fundamentais para uma ainda melhor qualificação da escola pública.
Deseja-se que o governo admita que a sensibilidade do tema exige bom senso, respostas concretas e pontes seguras que ajudem a ultrapassar os constrangimentos financeiros. Que promovam o reconhecimento e prestigiem a missão de ser professor, devolvendo a motivação e o empenho que caraterizam a classe docente. Esta, que foi uma nobre profissão, sofreu uma tremenda desvalorização social. A vítima das consequências não é apenas o professor, mas o futuro do País, na medida em que a carreira docente deixou de ser atraente, deixou de cativar os melhores talentos, deixou de estimular os jovens a abraçarem a profissão, deixou de despertar vocação para a missão.

Precisamos de professores, professores motivados e aos quais seja dada a possibilidade de desenvolver aprendizagens valiosas, significativas, essenciais, com os alunos. Precisamos de profissionais qualificados para estimular o pensamento e a consciência crítica. Não é medível a importância do professor na vida de cada indivíduo. Não importa o quão avançada esteja a tecnologia, as teorias ou as metodologias mais inovadoras, o papel do professor nunca será substituído.

Ser professor é muito mais que exercer um ofício, dar aulas, aplicar e corrigir exames. Ser professor é uma profissão que exige esforço, preparação, conhecimento, pesquisa, tempo e dedicação, mais ainda, que requer compromisso e comprometimento. Ser professor é procurar e propagar informação e conhecimento, fazer o outro crescer, orientar, promover o espírito crítico, desenvolver competências que possibilitem a integração plena no mundo do trabalho, procurando o melhor caminho, criando vínculos, compreendendo que é pela interação social que o aluno desenvolve melhores aprendizagens, cria novas formas de estar no mundo, ampliando as suas ferramentas de atuação no contexto cultural e educativo onde vive. Num tempo de mudança na escola pública, num tempo em que aumenta a cada dia a responsabilidade da escola no sucesso dos alunos, no seu bem-estar, seguindo um caminho que desenvolva e promova as competências exaltadas no Perfil dos Alunos. Num tempo em que as escolas devem preocupar-se em procurar o melhor caminho, contextualizando e marcando a sua identidade, flexibilizando, indo ao encontro de todos os alunos, precisa de reunir todas as energias, canalizando-as para tão grande missão.
É urgente a revalorização da carreira docente, para garantir o direito de todos a uma educação dignificante.

Deixa o teu comentário

Últimas Voz às Escolas

17 Setembro 2018

“Bons e maus Papeis”

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.