Correio do Minho

Braga, sexta-feira

- +

Vamos às sopas!

Beco sem saída

Voz às Escolas

2015-05-27 às 06h00

Manuel Vitorino Manuel Vitorino

Na fase final do ano letivo, toda a atenção está direcionada para a realização dos exames nacionais, nos diferentes ciclos de ensino. Reconhecendo o papel regulador das provas finais nas práticas e no sistema educativo convém não embarcar no mediatismo tão estridente e vazio de conteúdo, que resvala quase sempre para leituras simplistas e enviesadas.
As análises raramente atendem ao valor acrescentado da escola e de forma inconsciente, ou não, acabam por fazer a apologia do efeito Mateus1, que podemos sentenciar no seguinte: a que mais tem mais será dado.

Porque a função da escola vai muito além da avaliação externa, quero destacar uma atividade próxima que para além do carácter simbólico, proporciona momentos de crescimento pessoal e social, que também ajudam a escola a cumprir a sua missão educativa.
Trata-se da Festa das Sopas, a realizar na próxima sexta feira, dia 29 de maio, na Escola Básica 2/3 Dr. Pedro Barbosa. A intenção é clara: tem como objetivo promover uma alimentação equilibrada e o consumo da sopa.

O programa contempla uma palestra inicial “Sopa - a Economia e a Saúde à Mesa”, por docente da casa que é também nutricionista. Segue-se a degustação de sopas variadas oferecidas por mais de uma dezena de restaurantes e patrocinadores.
Este momento de convívio e de partilha entre os membros da comunidade educativa será animado com sessão de Karaoke pela Associação de Estudantes e com as prestações do Grupo folclórico da escola e do Grupo “Na-Boa-Bai-Ela”, constituído por professores, antigos alunos e professores do Agrupamento de Escolas de Monserrate.

O som de violas, guitarras, violino, flautas, concertinas e instrumentos de percussão, cria o ambiente de festa à festa das sopas.
Esta iniciativa, que já vai na sua quarta edição, é organizada conjuntamente pela Associação de Pais e pela Escola. É mais um contributo importante para uma verdadeira educação para a saúde dos alunos e das suas famílias.

O planeamento e a concretização desta ação estimula o envolvimento dos pais e encarregados de educação num aspeto crucial como a alimentação das crianças e jovens, fator com repercussões dentro e fora da sala de aula.

Ironia à parte, fazendo a transposição do efeito Mateus para este contexto, poderemos dizer que, os alunos que comerem (mais) sopa terão melhores prestações escolares: melhor rendimento, menos problemas comportamentais e atitudes mais positivas com reflexos imediatos e a longo prazo na sua qualidade de vida.
Por isso, no interesse de todos, vamos primeiro às sopas que depois virão os exames e os bons resultados.

1 (cf, Mt, 25, 28-29, Merton, 1968, Stanovich, 1986)

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho