Correio do Minho

Braga, sábado

ACB inicia ciclo de representação do tecido industrial da região
Gualterianas responderam a modelo de “consenso alargado”

ACB inicia ciclo de representação do tecido industrial da região

Ferido grave após queda de escada em pedreira de Monção

Braga

2019-06-26 às 06h00

José Paulo Silva

Associação Comercial de Braga celebrou ontem o 156.º aniversário. Com a expansão para o sector industrial, instituição quer ser a voz de todas as empresas da região.

A Associação Comercial de Braga (ACB) assinalou ontem 156 anos de actividade, num momento em que alarga a sua “abrangência” ao sector industrial, por força do fim da Associação Industrial do Minho. “Uma associação de empresas e empresários que agrega a indústria, o comércio, o turismo e os serviços” foi destacada pelo presidente da ACB, Domingos?Barbosa, na sessão comemorativa do 156º aniversário, acrescendo que a instituição “inicia um novo ciclo de representação da sua longa e reconhecida história”.
Nos últimos quatro anos, a ACB acolheu 513 novos associados, definindo o seu presidente como desafio futuro “fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que a economia da região de Braga seja uma das mais desenvolvidas e atractivas da Europa”, numa altura em que, “no plano internacional, a nossa cidade e região alcançaram excelentes níveis de reconhecimento e notoriedade, sobretudo nas áreas do turismo, desenvolvimento tecnológico e atracção de talento”.

O líder da ACB aproveitou este período de final de legislatura para exigir “aos movimentos e partidos políticos que assumam compromissos que estimulem um desenvolvimento económico e social equilibrado, sustentável e inclusivo, assente na promoção da iniciativa privada e do investimento público e privado”.
Segundo Domingos Barbosa, “para a nova legislatura é necessário garantir estabilidade política e governativa para que seja possível, com contas públicas equilibradas, iniciar um novo ciclo de crescimento económico”.
Na sessão em que foram entregues prémios de mérito a vários empresas associadas, defendeu que “é fundamental o aumento do investimento e da produtividade, bem como a redução dos custos de contexto e da carga fiscal que incide sobre as empresas e as famílias”, bem como estabilidade na legislação laboral e o reforço dos instrumentos de contratação colectiva e de concertação social.

As políticas de apoio ao investimento, de regulação da actividade económica, de ordenamento do território e de gestão das transformações climáticas são premissas e apostas fundamentais para quebrar definitivamente com um longo ciclo de estagnação da actividade económica em Portugal, bem como a aposta na qualificação das pessoas e organizações, defendeu o presidente da ACB.
Pedro Fraga, presidente da assembleia geral, aproveitou também a ocasião para reclamar apoios explícitos do Poder Central para o sector. “É importante que o Governo não se esqueça que o sector comercial também precisa de apoios”, disse.

Convidado para a festa de aniversário da ACB, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, considerou que os projectos em que a associação empresarial se tem envolvido têm sido fundamentais para os resultados económicos que se têm revelado no concelho nos últimos anos.
“O tecido económico de Braga está vivo, inovador, energético, exemplar no plano nacional e internacional”, garantiu o autarca na sessão em que foram agraciados associados com 10, 25 e 75 anos de filiação.

Associação quer continuar aposta na formação e qualificação

A Associação Comercial dde Braga (ACB) promoveu, em 2018, 93 acções de formação para empresas, que envolveram 277 formandos e 8 728 horas de consultoria.
Os dados foram revelados ontem por Rui Marques, director-geral da ACB, na sessão comemorativa do 156º aniversário da instituição.
Na “revista” do ano de 2018, aquele responsável destacou também os 562 inscritos no Centro Qualifica que a ACB gere. Foram emitidos certificados de equivalência ao 9º e 12º anos de escolaridade.
Ao nível da formação de jovens, a ACB acolheu 196 formandos, 24 quais concluíram cursos de cozinha/pastelaria e restaurante/bar.

Durante o ano de 2018, a ACB promoveu uma acção de formação para 21 desempregados.
A formação de activos contou, por seu lado, com 33 acções em 2018 que envolveram 649 formandos.
No mesmo período, foram realizadas acções de informação e sensibilização, nas quais participaram 1 465 formandos.
“Devemos reforçar a aposta na promoção, na inovação e na qualificação da nossa oferta produtiva, comercial e turística”, declarou ontem o presidente da ACB, Domingos Barbosa.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.