Correio do Minho

Braga,

- +
Agere já investiu dois milhões para melhorar ETAR de Frossos
Fundação ‘La Caixa’ apoia projecto de ensino da ‘Recovery’

Agere já investiu dois milhões para melhorar ETAR de Frossos

Famalicão busca triunfo ‘inédito’ sobre algarvios

Agere já investiu dois milhões para melhorar ETAR de Frossos

Braga

2021-04-06 às 12h30

Marlene Cerqueira Marlene Cerqueira

Investimento pretende melhorar o desempenho face à sobrecarga a que a ETAR está sujeita.

Desde 2014, a Agere já investiu mais de dois milhões de euros em obras na ETAR de Frossos com o objectivo de melhorar o seu desempenho face à sobrecarga a que está sujeita. O investimento, sublinhou Ricardo Rio, foi feito “em exclusivo com orçamento da empresa”.

Actualmente, está em curso mais uma intervenção nesta ETAR, que deve ficar concluída até ao final de de Abril e que “vai melhorar a situação”, afirmou Rio. Aliás, a intensificação dos odores na envolvente foi explicada pela Agere precisamente com esta intervenção que foi programada para os meses de Março e Abril por serem estatisticamente os meses mais favoráveis para a sua realização.

No entanto, as acentuadas amplitudes térmicas que se têm verificado nas últimas semanas, e que são pouco habituais nesta época do ano, contribuíram para o agravamento da propagação dos maus odores na envolvente à ETAR.

As intervenções em curso abrangem os quatro tanques da ETAR, sendo que a manutenção está a ser concretizada tanque a tanque. Isso quer dizer que, à medida que individualmente se vai concluindo a intervenção em cada um dos tanques é expectável um melhoramento.

“Uma vez que os tanques não são cobertos, quando as temperaturas atmosféricas descem, concretamente ao amanhecer e ao entardecer, regista-se uma transferência de vapor para atmosfera, o que gera de forma natural um cheiro mais intenso que se propaga com maior intensidade nas conforme direcção da brisa ou vento”, explicou a Agere.

Ricardo Rio admite que aquilo que actualmente se passa na ETAR de Frossos “não é digno para a qualidade de vida que se quer para Braga”. O autarca recordou que esta situação se arrasta “há mais de uma década”, lembrando relatos e queixas que lhe chegaram, ainda quando estava na oposição, vindos, na altura, da população de Merelim São Paio e de Panóias. “Esta é uma situação que nos deve envergonhar. Nenhuma população devia ter que sofrer como muitos sofrem em consequência das circunstâncias que envolveram a construção desta ETAR e dos impactos que ela tem”, afirmou Rio.

Para além de “patologias” próprias da sua construção, o edil lembra que a ETAR de Frossos foi projectada para 150 mil habitantes e Braga já ultrapassou largamente essa dimensão. “Essas intervenções que tem vindo a ser realizadas são muito importantes porque cada uma delas tem vindo a reduzir o impacto da ETAR na envolvente”, referiu, lembrando que este é um equipamento que não pode ser “desligado” para ser intervencionado.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho